Oxente Menina

Plus size pode usar camisa jeans?

juliana-camisa-jeans

Como usar camisa jeans foi o post que publiquei na #QuartaFashion da semana passada, mostrando algumas maneiras de usar essa peça tão queridinha. Na página do Facebook do blog recebi uma pergunta que achei pertinente transformar em post:

Adoro camisa jeans, mas nas modelos e nas meninas magrinhas qualquer coisa fica lindo. Gordinha também pode usar camisa jeans? (Gabi Barreto – São Paulo/SP)

 

Para responder a pergunta de Gabi, convidei minha amiga Dani Oliveira, que além de consultora de moda, também é blogueira plus size e escreve o divertido Eu Não Sou Modelo. Dani já me salvou em várias situações naquelas horas de “eu não tenho nada para vestir!”, inclusive já fiz com ela o serviço de otimização de guarda-roupa e personal shopper, que foram beeeem produtivos, e me presta consultoria sempre que tenho uma enorme interrogação pairando sobre minha cabeça.

PROFISSIONAL-RESPONDE

Gordinha pode usar camisa jeans sim! A minha primeira recomendação é analisar ombro-tecido-largura. Observem o caimento nos ombros, para que não deixe a impressão da camisa ser maior do que o seu tamanho. A escolha por tecidos mais finos ajudam no caimento, as camisas feitas de elastano são ótimas porque esticam, e aí você não precisa se preocupar em ver se os botões estão abrindo quando você está sentada. Atenção para os bolsos, pois bolsos grandes tendem a aumentar, e quem já tem o busto avantajado, em vez de afinar, vai dar a sensação de que você é maior do seu real tamanho. No mais, todas podem usar essa peça super atemporal e eclética.

Dani é modelo sim, e já postou várias fotos em seu blog usando a peça da qual estamos falando. Além do Eu Não Sou Modelo, recomendo também uma olhada no Hoje Vou Assim Plus Size, da linda Juliana Ricci, cuja foto ilustra a capa do post.

dani-modelo

Dúvida esclarecida, todo mundo agora pode vestir camisa jeans à vontade. E você, tem alguma pergunta? Manda pra mim que o Oxente Menina responde.

Leia também:

O que levar na mala do bebê em viagens

Esse post estava na agulha para entrar no ar semana passada, mas com a polêmica da menina que rebolava, acabei deixando esse pra hoje. Coincidiu que alguns dias depois, alguém na minha TL do Facebook  postou um vídeo sensacional de como dobrar roupas para ganhar espaço nas malas, e casou direitinho com esse post também.

Para escrever esse post me baseei na quantidade de bolsas e organizadores que levamos nas primeiras vezes que fomos à Natal. Eram dois organizadores daqueles grandes {que hoje usamos para guardar os brinquedos e empurramos pra debaixo do berço pra não ficar no meio do quarto}, bolsas com mamadeiras e garrafa térmica pra garantir que o bebê tivesse leite morninho no meio do caminho, e fraldas, muitas fraldas!

Para otimizar a quantidade de troço dentro da mala, já deixamos toalhas em Natal, a banheira portátil não levamos mais porque a madrinha de Luca arranjou uma pra deixar lá, berço também, e o carrinho nem sempre levamos porque o gordo não tem saco pra ficar sentado por muito tempo. Mas como Natal não é o único destino turístico para nós, quando vamos para outros lugares precisamos pensar nos itens que não tem no hotel ou na casa onde iremos ficar hospedados.

Alimentação. Nada é tão prático quanto aqueles potinhos com divisórias pro leite. Já levo a mamadeira com quantidade certa de água fervida e a medida nos compartimentos do potinho na quantidade adequada. Geralmente levo duas mamadeiras grandes e outras duas pequenas + a da água. Se uma parada estiver programada para a hora do almoço, dou uma daquelas sopinhas industrializadas {a pediatra de Luca disse que nessas ocasiões não tem problema}. Alimentação para quem só amamenta é uma glória, não precisa de nada disso.

berco-portatil

Berço: Quando Luca era pequeno cogitei comprar um desses pequenos que estão na foto. Me apaixonei pelo 3 em 1 da Tiny Love, podia até visualizar Luca dormindo como um anjo enquanto a mamãe livre de olheiras cantava ao lado enquanto o príncipe sonhava. Ainda bem que não comprei, porque o gordinho cresceu muito rápido e só teria aproveitado esse bercinho nos 3 primeiros meses {e olhe lá}. Para quem não tem um berço emprestado como temos lá em Natal, recomendo que evite o volume de carregar um berço portátil {e o gasto com ele} e coloque a criança pra dormir na cama entre os pais, que era como fazíamos antes da minha irmã arranjar o bercinho dele e continuamos fazendo quando vamos para algum lugar que não tem berço.

1. Berço portátil Brica – na Loja do Bebê | 2. 3 em 1 Rocker Napper Tiny Love – no Walmart | 3. Berço portátil The First Years – na Bebê Store | 4. Berço portátil Voyage – na Bebê Store

Paninhos, fraldas de pano e fraldas descartáveis. Um dos organizadores que levávamos era só com panos, fraldas e descartáveis. As fraldas de pano eram úteis porque até mais ou menos o 5º mês Luca golfava muito, muito mesmo, tipo sujar umas 8 fraldas por dia facilmente. Agora levo uma média de duas por dia dando margem de sobra {tanto que várias voltam limpinhas, mesmo sem ter lavado no destino}. Uso mais pra limpar o narizinho dele se estiver escorrendo, para limpar a boca depois da lambança da sopinha, ou para cobri-lo do sol enquanto estiver no carro. Os paninhos tipo cueiro, mantas e lençóis levo um para cada dois ou três dias. Os cueiros pra mim são bem úteis porque uso para forrar o trocador quando estamos em algum lugar público; os lençóis e mantas tenho o costume de levar na bolsa de mão dele, mas geralmente só o cubro com um lençolzinho fino. Já as fraldas descartáveis levo só um pacote, prefiro deixar pra comprar mais no local. Se fosse um lugar de difícil acesso a supermercados, aí sim levaria vários pacotes. Ainda não foi o caso.

Roupas e sapatos. Que mania que mãe tem de achar que vai emperiquitar a criança quando está fora de casa, né? Teve ida à Natal que levei uns 6 pares de sapato, e Luca só usava uns dois e olhe lá. Roupa a mesma coisa. Por que raios eu levava casaco para ir à Natal, que é quente que só a desgraça, ainda mais sabendo que meu bebê é super calorento? Já aprendi. Agora levo shorts, camisetas e bodies básicos. E uma roupinha mais arrumada, tipo uma calça jeans e duas camisas pólo pra sair. Pra dormir levo uns 3 conjuntinhos de calça culote, camiseta de manga longa e meia. Sim, e várias meias avulsas, porque elas não ocupam tanto espaço e o bebê sempre usa.

carrinho-canguru-sling

Carrinhos e cangurus. Como falei, Luca não é muito fã de ficar sentado num carrinho apreciando o mundo, e o dele é enorme. Nas dicas que vi em blogs de viagens cujos blogueiros tem crianças, o carrinho tipo guarda-chuva é uma mão na roda, pois, segundo eles, é fácil de carregar e é mais barato. O wrap sling é ótimo, feito de malha e bem maleável, usei muito quando Luca era menorzinho e era uma delícia tê-lo quentinho colado em mim {a foto aí em cima foi um dos nossos momentos enquanto eu trabalhava do meu QG em Natal}. O Ergobaby ainda não conseguimos comprar – é meu atual sonho de consumo. A mágica, por enquanto, é deixá-lo de braço em braço mesmo.

1. Wrap Sling – na Dan Dan Wrap Sling | 2. Canguru – da Ergobaby | 3. Carrinho de passeio guarda-chuva – nas Americanas

banheira-portatil

Banheira. “Vai no chuveiro mesmo!”, uma vez vi o comentário de uma mãe num grupo do Face. Só uma vez coloquei Luca debaixo do chuveiro, morro de medo de entrar água no ouvido dele, então prefiro realmente levar uma banheira nas viagens. A que a minha irmã arranjou pra ele usar em Natal é como a laranja da foto, ela tem a grande vantagem de não precisar encher de ar. Luca também tem a azul da Love, que só usamos uma vez e eu não curti muito {ela é meio molenga, mesmo estando cheia de ar}. Na falta de uma banheira portátil/inflável, uma piscina inflável serve muito bem para esse propósito.

1. Piscina inflável Toyster – na Galáxia Brinquedos | 2. Banheira Flexi Bath Stokke – na Bebê Store | 3. Banheira inflável Love - na Tricae | 4. Banheira inflável Munchkin – na Loja do Bebê

Brinquedos. Esses não tem como ficar de fora, e eu lamento se o brinquedo preferido do seu filho for um urso de 1,5m de altura. Costumo espalhar os brinquedos de Luca em várias bolsas e outros numa mochilinha especialmente pra isso, assim em qualquer situação tem sempre um brinquedinho à mão. Felizmente os brinquedos dele são pequenos, e as bolas eu evito levar. Esse item fica pra levar quando ele estiver maiorzinho e quiser jogar.

Viajar com criança não é tão prático quanto viajar sozinho ou só o casal, mas nada que nos impeça de ir. A organização só precisa ser maior e começar com um pouco mais de antecedência.

 

Leia também:

Esfoliante Phebo Alfazema Provençal

esfoliante-phebo-oxente-menina

Se tivesse uma carteirinha de sócio para os amantes dos produtos da Phebo e da Granado, a minha teria um monte de corações vermelhos ao lado de uma foto bem sorridente minha. Todos os produtos das duas marcas – que fazem parte do mesmo grupo – são maravilhosos. Todos mesmo!

Dessa vez eu testei o esfoliante da linha Alfazema Provençal. O produto veio junto com a Manteiga Corporal, mas na minha preguiça de passar hidratante, acabei só usando o esfoliante até agora, e, preciso dizer, estou apaixonada por ele!

O esfoliante, ao contrário da maioria dos que usei até hoje, não machuca a pele. Isso porque suas microesferas são bem mais fininhas e delicadas, já que são formulados com grânulos de arroz. A manteiga de murumuru complementa a fórmula do produto, propiciando uma sensação de hidratação imediata.

O produto é livre de parabenos e corantes, e é indicado para o rosto e para o corpo.

esfoliante-oxente-menina

esfoliante-phebo

Mas para quê que serve a esfoliação mesmo? A nossa pele é formada por diferentes células que morrem e se renovam. Às vezes é preciso dar uma impulsionada nessa renovação, e a esfoliação ajuda a remover essas células mortas que acabam entupindo os poros. Com a esfoliação, os poros ficam livres para deixar a pele respirar novamente.

Leia também:

Organize-se em agosto

calendario-agosto-2014Se organizar é algo que a gente deveria fazer todo dia, o ano todo, o tempo inteiro – não só em agosto. Depois que eu esqueci de um chá de panela, errei a data de um casamento {em minha defesa, o responsável por este evento era o meu marido}, e esqueci duas vezes uma consulta que eu tenho toda semana no mesmo horário, eu me dei conta de que agora preciso anotar absolutamente tudo. Às vezes fico pensando que o que eu deveria mesmo era diminuir meu ritmo de trabalho – de repente até tentar arranjar uns minutinhos para meditação – mas enquanto não consigo essa proeza, imprimi um calendário gigante em folha A3 pra não deixar passar mais nada.

datas-comemorativas-agosto-2014Como eu também trabalho com produção de conteúdo para alguns clientes, aproveitei e já inseri as datas comemorativas pra poder trabalhar melhor com o planejamento mensal. A má notícia é que não há nenhum feriado em agosto.

Para baixar o calendário é só clicar na imagem abaixo e salvar o arquivo. O tamanho dele está parametrizado para ser impresso em papel A3, eu imprimi em papel normal mesmo, mas se você quiser um mais firme pode escolher uma gramatura maior.

calendario-agosto-oxente-meninaSe tiver ficado faltando alguma informação importante, me avisem que eu coloco no de setembro. ;)

 

Leia também:

Como usar camisa jeans

camisa-jeansSe tem uma coisa linda nessa mocinha chamada moda é que ela abre os braços pra todo mundo. Outra coisa que nos faz querer dar um abraço de urso, daqueles bem apertados, é que ela vive dando uns vai-e-volta, mas sempre traz algo que a gente gosta. E pode até dar uns siricuticos de vez em quando e aparecer com umas coisas que a gente torce o nariz, diz que não vai usar nunca, depois acaba adaptando ao nosso guarda-roupa e ao nosso estilo. Mas a real mesmo é que a moda é uma fofa, e pra acreditar nisso com todo o coração, basta pensar nas camisas jeans {nas calças também, mas não vou falar delas hoje}.

celebridades-camisa-jeansNão existe regras para usar a camisa jeans. Vale jeans com jeans, com peças de alfaitaria, sobreposta com uma blusa de seda por dentro ou uma simples basiquinha branca. Com os acessórios a premissa é a mesma, do tênis ao salto alto, a máxima da camisa jeans é bem simples: adaptá-la ao seu próprio estilo.

Outra vantagem dessa peça curinga é que ela é fácil de encontrar. Nas lojas fast fashion a oferta é grande, e é possível encontrar peças incríveis com preços ótimos {se liguem nas promoções também}. Aí vão algumas dicas de onde encontrar a sua.

CAMIsa-jeans-como-usar

Crédito das imagens: Just Jared | Denim Blog | Pop Sugar

Leia também:

A menina que rebolava

menina-rebolando-2

“Olha só que safadinha”. Esse foi apenas um dos comentários no vídeo de uma menininha rebolando que circula pelo Facebook essa semana. Dançar não tem nada de mais, afinal de contas todos os dias vídeos de bebês fofinhos e crianças engraçadas circulam pela rede, e todo mundo acha lindo, curte e compartilha, não é? É sim. Mas esse é um pouco diferente.

Aparentando uns dois aninhos, e ainda usando fraldas, os gestos embalados pelo ritmo caribenho que contagia e envolve a criança são de fazer corar. Mas só a mim, pelo visto. Os parentes da criança que também aparecem no vídeo parecem não sentir nem um pouco de vergonha vendo a menina descer até o chão. No embalo, a garotinha segue sua performance estimulada pelo ritmo das palmas de umas seis pessoas que também estão no vídeo, em sua maioria adultos. Não obstante, a pessoa que filma faz questão de registrar o talento da garotinha dando zoom no seu bumbum de fralda no momento do rebolado. “Ah, que bonitinha!”, alguém comentou em meio aos mais de 1500 compartilhamentos que o vídeo oficial teve até o momento em que eu escrevia esse texto.

menina-rebolando

Não estou contestando a inocência dessa criança, nem contradizendo o seu molejo {basta ver o vídeo para comprovar que a menina tem ritmo}, o que me choca é que a família incentive e ainda divulgue esse conteúdo nesse mundo cão em que vivemos, onde a cada dia as notícias de pedofilia, violência e exploração infantil enchem nossos olhos de horror. Não é bonitinho, gente, é chocante!

“Quanta hipocrisia! Você nunca dançou o Tchan?”, alguém retrucou na fanpage do Oxente Menina quando postei o vídeo abrindo espaço para a discussão. Para mim não tem nem comparação, uma vez que essa banda com músicas de duplo sentido estourou quando eu já estava no início da minha fase adulta. Não fui incitada pelos meus pais a dançar sensualmente quando criança, nem estimulei as crianças da minha família a fazerem dancinhas que ficam de quatro enquanto rebolam. A educação que recebi e que tento passar para o meu filho pode não ser 100% certa, mas dentro dos valores educacionais da família, criança tem que viver a fase de criança, ouvir e dançar música de criança. Simples assim.

menina-rebolando-3

“E depois ninguém sabe porque foi mãe adolescente”, uma outra pessoa pontuou. Vamos lá dar as mãos e tentar entender, amiguinhos. Não estamos afirmando que essa criança vai ser mãe logo cedo por falta de orientação familiar. Nada, nada mesmo, vai garantir que essa criança tenha um filho aos 14 anos. Simplesmente não temos como prever. Pode ser, inclusive, que a menina que rebola tenha uma educação exemplar em casa {não sabemos como é a vida que ela leva fora desse vídeo}, talvez aos 16 ela se mostre um prodígio e entre na faculdade de medicina, quem sabe ela um dia seja a cientista responsável pela cura do câncer e decida só ter filhos após os 35. Só Deus sabe. Mas dentro do que nos está sendo mostrado, e diante das estatísticas que não só conhecemos como fazemos parte, o indivíduo é reflexo da educação que recebe, e se aos dois anos fazer danças vulgares é visto como normal e inocente, que futuro esperar pra ela? Torço para que essa tempestade se transforme num pingo d’água, e tanto família quanto bebê tenham uma vida plena e feliz dentro de suas escolhas.

Se me permitem dar uma dica – e isso vale para todos nós – quando pairar a dúvida entre o que é engraçadinho e o que é vulgar, prefiram não divulgar na internet. E falando em vídeos, tem uns da Galinha Pintadinha que as crianças adoram…

Em tempo: 1) O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) está acessível para qualquer cidadão;  2) O site da Fundação Promenino tem ótimo conteúdo para informação e pesquisa; 3) Descobri o vídeo a partir de um compartilhamento pelo perfil de Sarah; 4) Achei melhor não postar o vídeo no blog para não dar mais margem a compartilhamentos, e optei pelas fotos em que o rosto da criança não aparece para não expô-la ainda mais do que o compartilhamento do vídeo no Facebook já fez; 5) O texto reflete a minha opinião sobre o assunto, ninguém é obrigado a concordar com meu ponto de vista.

Leia também:

Coleção Avon inspirada na Pop Art

avon-pop-artQuem nunca criou num programa de edição de imagens online a própria foto no estilo colagem Pop Art em série? Os traços de quadrinhos, as cores fortes e a sequência das imagens servem de inspiração para apreciadores da arte do mundo inteiro – e para uma pessoa comum também, tipo aquela que senta atrás de um computador para escrever esse post. O fato é que a famigerada imagem do movimento Pop Art circula a todo vapor nessa vasta rede, seja com o rosto de Marilyn, seja o meu, ou mesmo o seu. Poucos sabem, no entanto, que o criador dessa imagem é um norte-americano chamado Andy Warhol (1928-1987), artista, cineasta, grande difusor da Pop Art e um dos maiores representantes do movimento vanguardista que ganhou impacto nas décadas de 1950 e 1960.

warholOs artistas deste movimento, além do próprio Warhol, inspiravam-se em objetos da vida cotidiana, como latas de refrigerante, embalagens de alimentos, histórias em quadrinhos, bandeiras, panfletos de propagandas e outros objetos que serviram de base para a criação artística deste período – marcada por obras de cores vivas, intensas e impactantes. Apropriando-se da alegria e juventude marcadas nessas obras, a coleção Color Trend Pop Art da Avon traz novidades para os olhos, os lábios, além de esmaltes e acessórios.

batons-pop-art-avonBatons Pop Love (R$ 10,99 cada) ganham novas cores, que proporcionam alta cobertura: Fúcsia Pop, Pintura Pink e Rosa Arte. Eles contêm vitamina E e FPS 15, além de hidratantes especiais que instantaneamente hidratam os lábios, deixando-os macios e suaves.

esmaltes-pop-art-avonA coleção traz novas cores para o Esmalte de Brilho e Longa Duração (R$ 3,49): Toque Final (cintilante), Ícone Pop (cremoso), Desenho Livre (cremoso), Pintura Moderna (cintilante) e Obra Prima (cremoso).

delineador-azul-moderno-avon

delineador-verde-abstratoPara um olhar com cores incríveis, traço firme e vivo, a coleção apresenta novas tonalidades do Pop Delineador Líquido (R$ 17,99 cada): Preto Artístico, Azul Moderno e Verde Abstrato.

Os produtos podem ser encontrados com os revendedores Avon e nos folhetos a partir desse mês.

Leia também:

Paris Hilton ginástica rítmica inspired

paris-hilton-01

Pego no pé com essa também. Paris Hilton para mim é como Kim Kardashian, de vez em quando dá bola dentro, de vez em sempre dá bola fora, e roupas lindas ou horrendas à parte, sempre volta aquela perguntinha pra minha cabeça: você é famosa por causa de quê mesmo?

E aí que essa semana engoli todo o meu recalque e a minha inveja para elogiar Paris. Porque foi só navegar por um site de fofocas e me deparar com a saia azul de Ms. Hilton, look usado no lançamento do seu novo single “Come ALive”, para ficar perdidamente apaixonada. Tecido perfeito, cor maravilhosa, caimento nem se fala. Olhando mais atentamente percebi que a saia não é inteira, são pedaços presos no cós; o tecido talvez fosse transparente demais pra mim {mas pra ela que adora mostrar além do que devia, fiquei feliz em ver que havia algo por baixo}, mas definitivamente a saia serve de inspiração.

Mas falando em inspiração, só eu que achei a blusa com cara de collant atleta de ginástica rítmica? Ironicamente, a ginástica rítmica é um dos esportes que gosto de assistir durante as Olimpíadas porque sempre acho as roupas e as maquiagens das meninas bem interessantes. Não sei se para um red carpet funciona, mas nesse caso, em se tratando de Paris Hilton, acho que funcionou. É como disse antes: só o fato de não ter nada super exposto, já é motivo pra contar vitória. Talvez não valha medalha de ouro, mas também não leva a de latão enferrujado dessa vez.

paris-blue-skirt

Crédito das imagens: Paris Hilton – Celebrities Wonder | Ginastas: divulgação London 2012

Leia também:

Espaço Família do RioMar

espaco-familia

Encantada! É a palavra que define a minha sensação com o Espaço Família do Shopping RioMar daqui de Recife. Eu nunca havia prestado atenção do espaço família de lugar nenhum, até precisar utilizá-lo. O do RioMar não foi o primeiro que eu usei, mas foi o primeiro {e único até agora} a chamar a minha atenção e ganhar um post só pra ele.

O Espaço Família oferece serviços inteiramente gratuitos, é uma facilidade e comodidade para os papais e mamães que levam seus pequenos ao shopping. Busquei o espaço para pegar um carrinho para Luca; esse serviço é provavelmente o mais conhecido, já que são esses carrinhos que vemos nos corredores do mall. Mas os serviços vão muito além disso!

Toda uma estrutura de copa, banheiro, trocador, espaço de alimentação e amamentação está à disposição dos clientes do shopping. Cada andar possui um Espaço Família {as fotos são do L2}, em todos há o serviço de empréstimo de carrinho, bastando apenas que o responsável preencha um formulário de responsabilidade e devolva o carro até 15 minutos antes do encerramento das atividades do shopping no dia.

carrinhos-bebe-riomar

A sala de descanso/amamentação coletiva tem umas seis poltronas, e são as cadeiras mais confortáveis da face da terra! Sério, eu não queria sair de lá. Queria trazer uma pro meu apartamento, mas ia tomar o quarto inteiro. E para as mamães e papais mais reservados que preferem um pouco mais de privacidade, existem salinhas individuais com uma só poltrona e fechada por uma cortina.

Na parte da copa, além da pia para lavar chupetas e mamadeiras e do microondas para esquentar a comidinha do bebê, também tem as cadeirinhas de alimentação {mas não fique lá não, bota o bebê no colo e vai sentar numa das poltronas que eu falei}.

poltrona-amamentacao-riomar

espaco-familia-riomar

cadeira-alimentacao

A sala de trocador é enorme, e tem até banheira para quem precisar dar um banho na criança. Os toaletes ficam em outra salinha, com privadas pequenas para acomodar direitinho os kids. E o pessoal que auxilia no espaço avisa: são só para as crianças! Segundo elas, tem muito responsável se fazendo de doido e tentando usar o banheirinho dos pequenos. Falando nas auxiliares, elas são super prestativas e atenciosas.

O melhor desse banheirinho é que tanto o pai como a mãe podem entrar. Porque é um dilema quando um pai está sozinho com sua filha num estabelecimento e a menininha precisa ir ao banheiro, né? Já presenciei cena de um pai do lado de fora de um banheiro feminino tentando convencer a filha pequena que chorava porque não queria entrar sozinha.

trocador-riomar

banheiro-infantil-riomar

decoracao riomar

A gente consegue ver claramente que cada detalhe foi pensado com todo cuidado para proporcionar uma boa experiência para as famílias que visitam o shopping na companhia de crianças. Até as cores claras, a decoração e a iluminação das salas são convidativas para um momento de calma e relaxamento.

Parabéns ao RioMar, que o bom exemplo sirva também para restaurantes, aeroportos, parques e todos os espaços públicos que regularmente recebem crianças e não tem a menor estrutura para elas.

Leia também:

Kiko False Lashes Concentrate

kiko-mascara

Sabe aquelas pessoas que são agraciadas com cílios longos, cheios e bem curvados? Eu não sou uma delas. Além de ter os cílios curtos, nada curvados e em pouquíssima quantidade, tenho que olhar diariamente para o meu marido com seus cílios fartíssimos e dizer mentalmente que no amor não há espaço para a inveja. *Suspiros*. Só me resta aceitar a minha condição e apelar para cílios postiços – quando a ocasião é mais especial – ou para uma boa máscara no ritual nosso de cada dia.

Passeando pelas ruas de Milão recentemente, minha amiga Dani lembrou dos meus cílios nada fartos e trouxe pra mim a False Lashes Concentrate, da Kiko Milano, para aumentar a minha coleção de tentativas em busca de cílios dignos.

A False Lashes Concentrate é na verdade um top coat, que deve ser passado por cima de outra máscara. O pincel dele é tipo ouriço, quem nem aquela máscara famosona da Givenchy, e o propósito dessa máscara é dar mais volume. O bom dela é que é bem pretona, tanto que uso sem passar nenhuma outra antes, e é cremosa na medida, nem fica melecando depois de um espirro {sou fera em fazer isso depois de passar rímel} e nem seca em um segundo.

cilios-ralos

mascara-da-kiko

kiko-false-lashes

Presente não se pergunta o preço, né? Mas dando uma olhadinha no site, vi que as máscaras da Kiko custam em média 7 a 8 euros. Tenho usado muito ela nos cílios inferiores também, e quando passo máscara nos cílios inferiores nem passo lápis preto para destacar melhor os cílios.

Leia também: