Oxente Menina

Jardim Botânico do Recife

jardim-botanico-05

Era uma manhã de domingo como outra qualquer, saímos cedo para tomar café e lá resolveríamos para onde ir. Recife Antigo ou Parque da Jaqueira eram os destinos prováveis para levar Luca, mas saímos do convencional e fomos para o Jardim Botânico do Recife. Nossa manhã de domingo acabou resultando num passeio maravilhoso, e o pequeno amou!

O Jardim Botânico do Recife foi revitalizado em 2013 pela Prefeitura do Recife. O parque, que faz parte da Rede Brasileira de Jardins Botânicos e faz realiza pesquisas científicas e estudos de conservação e educação ambiental, ocupa uma área de 10,7 hectares dentro das Matas do Curado.

jardim-botanico-01

jardim-botanico-04

O acesso principal dentro do parque é feito por uma área calçada que leva a pequenas trilhas, que por sua vez levam a diferentes áreas de conhecimento. No dia em que fomos só havia uma trilha aberta, esta dando acesso a uma outra área calçada onde é possível chegar facilmente ao Orquidário, ao Jardim Sensorial, ao Jardim Tropical e à área administrativa.

Tudo é bem sinalizado e os funcionários cordiais e solícitos. Como a maioria das trilhas estavam fechadas, a sinalização existente foi suficiente para nos guiar, no entanto, para um passeio mais detalhado e rico, é possível agendar um passeio guiado que deve ser previamente agendado. [Na página do Jardim Botânico do Recife no Facebook é possível encontrar informações].

jardim-botanico-03

jardim-botanico-02

Além da sinalização para orientar os visitantes, espalhadas pelo parque existem várias placas explicativas sobre as árvores e plantas. São vários tipos de plantas terrestres e aquáticas, que criam, junto aos animais que habitam a área, o contraponto perfeito de imersão na natureza mesmo estando dentro da cidade. O local é acessível para cadeirantes e carrinhos de bebê. Se não nas trilhas, nas “ruas” principais o acesso é fácil e possível.

O acesso ao Jardim Botânico é feito pela BR-232, na estrada para Gravatá. O Jardim fica no sentido Gravatá-Recife, portanto, partindo da capital é preciso observar a sinalização para fazer o retorno.

jardim-botanico-06

Com entrada gratuita, estacionamento próprio e cordialidade do staff – além do passeio em si, que é lindo – recomendo o passeio para todos, especialmente para os pernambucanos que ainda não sabem sobre a revitalização e reforma do Jardim Botânico. É um excelente local para passear com a família e conhecer mais sobre o nosso meio ambiente.

Para ver um pouco mais, aperta o play para ver o vídeo feito durante a nossa visita em família ao Jardim Botânico do Recife:

leia-tambem

CONHECENDO-UM-POUCO-DO-RECIFE-MARCO-ZERO  ALUGANDO-PELO-AIRBNB  TAGS-PERSONALIZADAS-DE-VIAGEM  TEMPLO-BUDISTA-DE-TRES-COROAS

 

Ringue de mães

ringue-de-maes-02

Bicho complicado a tal da mulher. E nem pense que eu vou escrever esse texto me redimindo da culpa das baixarias inerentes ao nosso gênero. Nem me venham com discursos feministas dizendo que em vez de escrever uma atrocidade dessa eu deveria me unir e defender as mulheres e mães mesmo quando elas estão erradas. Não. Defendo o que eu acho certo, independente de gênero, cor, raça, preferência política ou time de futebol. E me reservo ao meu direito de opinar mesmo quando minha opinião é contrária àquela que você acha que é a única certa.

E se você acha que é um absurdo eu falar que mulher é desunida e adora uma baixaria, pergunta pro teu marido, boy magia, ficante, pai ou irmão se eles pegam briga em grupos do Facebook porque alguém deu a entender que ele é ‘menos pai’ ou porque alguém disse que o look que ele usou ontem não ornou.

Se mulher já é chegada numa discussão acalorada, quando ela é mãe, sai de baixo. Defender a cria é um instinto animal, mas usar a maternidade e o instinto como desculpa para ofensas e radicalismos – me desculpe – é insano. E dessa união eu prefiro não fazer parte.

Não me chame de ‘mãezinha’!

ringue-de-maes-03

Flutuando por um grupo no Facebook, num daqueles posts que tem pra lá de 200 comentários, li bem por cima o que uma mãe estava falando: “… porque depois de esperar aquele tempo todo a enfermeira ainda teve a audácia de dizer ‘mãezinha, a senhora precisa se acalmar!’, eu precisei respirar fundo para não rodar a mão na cara dela”. É, esperar em consultório, em hospital, em fila de banco, até em fila de parque de diversões, cansa, estressa. Quando o motivo é referente ao nosso filho, o estresse se multiplica por 10 {acabei de lembrar que já dei escândalo num hospital por causa de um péssimo atendimento, mas isso fica para outro post}. Demorou uns 40 comentários para eu entender que a raiva toda daquela mãe não era apenas pela espera. Na verdade, ela meio que já esperava pelo chá de cadeira, o que a deixou arretada mesmo foi a enfermeira chamá-la de ‘mãezinha’. Depois de ler quarenta e poucos comentários de consternação coletiva, achei melhor sair do grupo.

Eu não vejo nada de mais em ser chamada de mãezinha. Antes de tentar atirar solvente nos meus olhos para fazer minha extensão de cílios cair, respire fundo. Eu entendo que muitas mulheres lutam contra valores deturpados que atribuem inferioridade e fragilidade à mulher, e eu sou completamente contra esse pensamento machista de que a mulher é inferior, só não acho que o termo ‘mãezinha’ me limite como mãe ou mulher. Acho a briga contra o pensamento machista coerente, a briga contra o termo não. Na verdade, das tantas vezes que ouvi ou que fui chamada de ‘mãezinha’ a sequência de frases era sempre envolvida de carinho. De enfermeiras querendo passar no olhar um pouco de conforto ao verem minha apreensão pela injeção que meu filho precisava levar; de equipe médica celebrando antecipadamente o momento em que meu filho chegaria aos meus braços; de desconhecidos atingidos pela aura de luz que uma mulher grávida parece emanar.

Ok, não gostar do termo é um direito seu, mas, por favor, não veja isso com uma coisa negativa. Nem tente dar um hadouken numa senhorinha na rua que não sabe o seu nome e a chamou de mãezinha porque estava prestes a elogiar o seu bebê.

Você TEM que amamentar!

Amamentar é a coisa mais linda desse mundo. Saber que o seu próprio corpo produz o alimento necessário para saciar a fome do seu filho e passar para ele todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento é uma coisa mágica. Defendo a amamentação. Defendo as mulheres que amamentam os filhos até os 3, 4 anos, mesmo sob julgamento ou olhares maldosos. Defendo as mulheres que não se incomodam em mostrar o corpo em lugares públicos em benefício de suas crias. Defendo as mulheres que preferem esconder o seio na hora da amamentação. Defendo as mulheres que não amamentam.

Me espanta saber que mulheres que defendem tanto essa união entre mães sejam incapazes de compreender a dificuldade e a impossibilidade de outras em amamentar [falei sobre amamentação e suas dificuldades no post Mães (im)perfeitas]. Me espanta que, mesmo diante das dificuldades expostas, algumas ainda insistam que todas somos iguais e é fácil para todo mundo tanto quanto é para elas. Bico plano, bico invertido, falta de leite, tentativas frustradas, instabilidade emocional, nada disso é argumento convincente para mães que jorram leite. Ao passo que o incentivo é determinante para o sucesso das mães que tem dificuldades e após algumas (ou várias) tentativas conseguem, falta empatia e sensibilidade para reconhecer quando simplesmente não dá. 

ringue-de-maes-01

Deixa que eu escolho por você.

Dê dinheiro, mas não dê liberdade. Assim dizia um velho amigo. Interpretação de texto virou um dos maiores problemas do século, especialmente quando tem gente interpretando a frase “preciso de uma sugestão” como “você tem passe livre para se meter na minha vida e decidir que escolhas eu devo fazer”. 

“Comentei com uma conhecida que estava na dúvida se iria deixar minha filha na escola no ano seguinte porque ela havia tido um desentendimento com uma professora. Essa conhecida tomou a liberdade de nos expor e contar uma versão completamente diferente do que eu tinha falado para a diretora do colégio. Ficou um clima super chato para mim e para a minha filha com a professora e com a diretora. Minha filha acabou pedindo que eu a mudasse de colégio”, conta Tereza*, mãe de uma adolescente de 13 anos.

Comunicar é saber medir as palavras e delimitar até onde você quer que o outro saiba e interfira. “É complicado manter uma conversa com algumas mães que tem filhos da mesma idade do seu”, conta a nutricionista Raquel Teixeira ao complementar que há sempre aquelas que precisam comparar tudo em relação aos filhos e querem convencê-la de que você precisa fazer exatamente igual. “Tudo dela e do filho é melhor. A gravidez foi mais tranquila; o colégio do filho dela é melhor que o do meu; o desenvolvimento da criança é mais satisfatório; as festas da escola do filho dela são mais pomposas. Se eu digo que meu filho já sabe duas palavrinhas em inglês, o dela já é fluente no idioma e ainda forma frases em mandarim”, diverte-se. “E sempre que ela discursa sobre algum feito da família exemplar e genial que ela tem, ela diz que eu deveria fazer o mesmo”.

Esses foram apenas alguns exemplos do maravilhoso mundo competitivo e tempestuoso das mães. Mas calma, nem tudo é tão infernal quanto parece. Quando não estamos na TPM e nem há ninguém pisando nos nossos calos, nós – mães – somos as pessoais mais calorosos, amigas e amorosas desse mundo. 

E se discordar leva porrada! Brincadeira…

* Nome modificado a pedido da entrevistada | Crédito das imagens: Shutterstock

 

leia-tambem

MAES-IMPERFEITAS  COMENTARIOS-INCONVENIENTES-POS-PARTO  MEU-FILHO-MELHOR-QUE-O-SEU  DIARIO-DA-GRAVIDEZ-PARTO-NORMAL-OU-CESAREA

Maquiagem básica para o dia a dia [com tutorial]

maquiagem-basica-01

Perder a vergonha de gravar vídeos e ainda por cima gravar vídeo sem maquiagem. Quantas conquistas! Esse vídeo começa meio assustador – estou de cabelo molhado e sem make – mas, por favor, não tenham medo. Comecei o vídeo partindo do zero, de cara lavada mesmo, para mostrar a minha maquiagem de todo dia em forma de tutorial desde o primeiro passo.

Já falei várias vezes aqui no blog que sombra marrom é a minha queridinha, aquela que eu uso quando nada mais me agrada – ou quando tudo me agrada e eu acabo escolhendo a mesma cor novamente. Junto com um tom neutro mais claro, a sombra marrom pode até não operar milagres, mas com certeza dá uma levantada no olhar – e na autoestima, quando a gente se olha no espelho e vê que com passos tão simples conseguiu executar uma maquiagem digna.

Especialmente para as pessoas que dizem que não conseguem se maquiar e para as amigas que vivem me pedindo para ensiná-las como se maquiar, segura aqui a minha mão e vamos juntas dar esse primeiro passo.

leia-tambem

PRE-MAQUIAGEM-TECNOLOGIA-TUPINIQUIM-PRIMERS-FACIAIS  TUTORIAL-OLHOS-ESFUMADO-SEM-USO-DE-PINCEIS  MAKE-DA-VEZ-AS-CORES-DO-OXENTE  SEM-MAQUIAGE-E-DAI

Os batons de Felicity Smoak

batom-roxo-felicity-arrow

A long time ago, quando eu ainda tinha tempo livre para assistir TV e meus programas favoritos não precisavam disputar espaço com Peppa ou Bob Esponja, Arrow estreou num dos canais que eu costumava ver e eu não tive o menor interesse em acompanhar. Até Dani encher o saco de Deus e o mundo com o tal do Amell, ator que protagoniza a série {e que – justiça seja feita – é um gato!}, eu acabei me rendendo e comecei a assistir. Ainda estou vendo a primeira temporada a passos de tartaruga, não estou amando, mas estou curtindo. Sim, Oliver Queen é lindo e vale muito à pena assistir por causa dos bíceps olhos e da personalidade dele, mas sabe o que tem me cativado também? Os batons de Felicity, personagem da atriz Emily Bett Rickards. Do tipo de esquecer a história e ficar pensando “Meu Deus, que batom lindo é esse que ela está usando?”.

O batom roxo

batom-roxo-felicity-arrow-2

Em algum episódio da 1ª temporada ela apareceu com esse batom roxo incrível! Dependendo da iluminação da cena, o batom parece ser bem roxão, já na foto ele aparenta ter um fundo fúcsia e ser bem cremoso.

batom-roxo

Rosa-Barbie

batom-pink-felicity

Já soube que essa foto é de um episódio da 3ª temporada, estou longe de assistir ainda, mas na minha busca pelos batons de Felicity encontrei essa foto e adorei a cor no tom de pele dela. O batom aparenta ser um rosa de fundo coral, bem no estilo Rosa-Barbie.

batom-rosa-barbie

Vermelho-fatale

red-lipstick-felicity

Não podia faltar um vermelho nesse bocão, né? Incrível como ela fica bem com todas as cores e consegue fazer a transição do look angelical para o mulherão apenas mudando a cor nos lábios.

batom-vermelho

Pelo pouco que assisti da série até aqui, Felicity é uma personagem no mínimo intrigante. Com uma personalidade muito sagaz, Felicity consegue ser forte e ao mesmo tempo demonstrar vulnerabilidade; consegue passar a imagem de nerd em ambiente corporativo {e que fala pelos cotovelos} e na cena seguinte se transformar numa it-girl. Ah, e embora eu ainda esteja na primeira temporada, já sei que ela pega o bonitão. #TodasQueremSerFelicity – por dar uns pegas em Oliver e por usar os batons mais lindos do planeta, hahaha.

 

leia-tambem

COMPRINHAS-DE-BATONS-NA-PANVEL  6-BATONS-VERMELHOS-MENOS-30-REAIS  LUXE-AVON  O-BATOM-DE-PALOMA-AMOR-A-VIDA

Polêmicas no YouTube

polemicas-do-youtube

Um dia desses conversando com uma amiga que é advogada, ela me confidenciou que na área tem muita gente querendo passar a perna nos outros, daquele tipo que não tem um pingo de dó de pisar na cabeça de um se necessário for. A gente sempre pensa que essas coisas só acontecem na nossa área, no nosso ambiente de trabalho, com pessoas que a gente conhece, né? Eu pensava que era só com a galera de comunicação que tinha essas tretas, mas que nada.

Não é comemorando o fato de ter fruta podre em tudo que é árvore, mas em vez de só chorar pela fruta que caiu do pé sem estar madura, aproveitei a tag “Polêmicas do YouTube” que Carol Guijarro me desafiou a fazer e soltei o verbo sobre a blogosfera em geral. Vem ver comigo!

No vídeo indiquei Pri Oliveira, do Blog da Priscilla; Simone Bispo, do Dona Bispa; Diise, do Utilidades & Bobagens; Grazi, do Dica da Grazi; e Nary, do Chat Feminino. As perguntas estão aqui, e quem mais estiver a fim de responder, sinta-se indicado.

1. O que mais te irrita nos youtubers?
2. O que você acha de youtubers/blogueiras que não cumprem o que falam? Conhece alguém?
3. Acredita que crescimento vem com esforço?
4. Você considera seus vídeos bons? Gostaria de melhorar?
5. Você acha que o conteúdo de seus vídeos ajuda alguém de alguma forma?
6. Qual principal característica uma youtuber precisa ter?
7. O que você acha de arrogância? Acredita que sucesso sobe a cabeça?
8. Se você tivesse uma empresa concentuada que blogueira iniciante procuraria parceria?
9. Já viu alguma blogueira passar informações mentirosas?
10. Indique 5 youtubers/blogueiras para responder essa TAG

 

leia-tambem

BLOGS-DE-MODA-BELEZA-X-SERES-PENSANTES  PARCERIAS-NOS-BLOGS-DE-MODA-E-BELEZA  BLOGUEIRA-POPSTAR  IVETIZACAO-DA-BLOGOSFERA

Conhecendo o Malabar Pastel Gourmet

malabar-recife-01

Uma das coisas mais prazerosas da vida é comer. Além de saciar a fome, a comida é o carro chefe da nossa vida social. Sempre que queremos encontrar aquela amiga que não vemos há tempos, soltamos um “vamos marcar um cafezinho?”. E ainda temos aqueles famosos “almoço das meninas” e “happy hour mensal”. Coisa boa é comer e estar perto de quem se ama, não é mesmo?

Sempre com esse pensamento, estou em busca de novidades ou de lugares que vendam minhas comidas prediletas! E um dos lanches que mais amo (depois da #CoxinhaDoAmor) é o pastel. Só o cheiro da fritura me faz lembrar da infância. A imagem dos veraneios na casa lotada de primos e tias na praia de São José da Coroa Grande é instantânea. Ah, coisa boa era o tal do pastel pingando de óleo…

Esse boom gastronômico, com essa infinidade de food trucks, bicicletas que levam comidas a todos os lugares e os muitos deliverys prontos para fazer sua felicidade instantânea, ficou mais fácil saciar o “desejo do dia” – sem precisar esperar o fim de semana como desculpa. Pensando nisso, alguns dias atrás colocamos as crianças no carro e fomos conhecer o Malabar Pastel Gourmet.

malabar-recife-02

Com música boa e bem selecionada, o trailer é especializado em pastéis e conta com sabores marcantes em seu recheio. Costela, queijo provolone, barbecue, abacaxi, lombo suíno e doce de leite, são algumas das opções que você pode encontrar lá. Os pastéis são fresquinhos e não demoram a ficar prontos. Vale lembrar que a demanda é grande e nem sempre todos estão disponíveis.

Amei a proposta do lugar! O clima é mega convidativo e nos deixa com vontade de ficar comendo pastel com coca gelada até altas horas. Sem falar no atendimento, que é espetacular. Ô povo simpático! E o cantinho onde armaram a tenda? Lindo, lindo. Com certeza voltaremos mais vezes ;)

malabar-recife-03

Serviço: Malabar Pastel Gourmet – Rua Sá e Souza, 845, Setúbal | Funcionamento: Segunda à sábado, das 17h às 23h | Valores: R$ 5 pastéis simples, R$ 8 pastéis gourmet, R$ 3 refrigerante. Quem é de cerveja, tem as conhecidas e umas artesanais | Aceita cartões

guest-post-arte-autor

Imagens: Fanpage Malabar e acervo pessoal de Vivi Cavalcanti

 

leia-tambem

COMIDA-DE-RUA-FOODTRUCKS  HELLO-KITTY-FOOD-TRUCK  CONHECENDO-UZUMAKI-TEMAKERIA  TONY-SPECIAL-HOT-DOG