Oxente Menina

Primeiro dia de aula: a adaptação dos pequenos

primeiro-dia-de-aula-bebe

Férias acabando, pais voltando a ter algum descanso depois de um mês inteiro de atividades e muita criatividade para entreter a criançada durante as férias de julho. Enquanto alguns pais respiram aliviados pelo fim da folga dos filhos e pela perspectiva de ter a vida de volta à rotina, a tensão de outros aumenta a cada dia na expectativa de mandar a criança para a escola pela primeira vez.

É normal para os pais de crianças pequenas, em especial aquelas que completam 24 meses no segundo semestre, optarem por colocar os filhos na escola na metade do ano escolar. Seja por opção ou por necessidade, desatar esse laço entre o adulto que está com o filho desde o seu nascimento não é fácil para o responsável e nem para a criança. “Apesar de necessária, essa separação é um processo doloroso tanto para a mãe quanto para a criança”, conta a pedagoga Priscilla de Moraes Custódio, coordenadora da educação infantil da Escola do Futuro, de São Paulo.

SENTIMENTO DE CULPA

Atrelado à separação está o sentimento de culpa dos pais em deixar os filhos na escola. “Me senti como se estivesse traindo a minha filha, como se estivesse tentando me livrar dela, deixando-a num lugar onde todas as pessoas eram estranhas”, confidencia a advogada Alessandra Santos, mãe de Maria Luiza, de 3 anos.

Alguns pais alimentam ideias equivocadas sobre como é o atendimento à crianças pequenas, imaginando que na escola as crianças terão pouco carinho e pouca atenção, e misturam essas fantasias com a própria culpa em deixar os filhos no colégio. Cláudia Razuk, diretora do Colégio Itatiaia, de São Paulo, aconselha que “para desmistificar essas primeiras fantasias, a melhor maneira é falar com pessoas que já tenham filhos na escola pedindo mais detalhes sobre suas experiências. Ver o funcionamento e o tratamento destinado às crianças em diversos horários e rotinas do colégio também ajuda”. Nessas visitas, os pais podem verificar todos os pontos positivos, e esclarecer que o que eles imaginavam ser negativo pode, na verdade, nem existir. “Colocar a criança em contato com outras crianças que já frequentam escolas também ajuda”, completa Cláudia.

PROCESSO DE ADAPTAÇÃO E REAÇÃO DAS CRIANÇAS

O processo de adaptação escolar varia de criança para criança. Algumas tem mais dificuldade em desatar os laços dos pais, e o choro dos primeiros dias é absolutamente normal. “O choro na hora da separação é frequente e nem sempre significa que a criança não queira ficar na escola; da mesma forma que a ausência do choro não significa que a criança não esteja sentindo a separação”, comenta Priscilla Custódio, que destaca ainda que a adaptação requer da criança a decisão de ficar por vontade própria.

primeiro-dia-de-aula-bebe-02

Para a fotógrafa Joyce Domingos, mãe de Pedro, hoje com 7 anos, o período de adaptação escolar foi frustrante: “Pedrinho chorava muito pra ficar na escola quando foi pela primeira vez, com 1 ano e 8 meses, mas quando eu ia embora ele ficava numa boa. Pensei que era algo com a escola, troquei e continuou do mesmo jeito. Graças a Deus tive muita ajuda da professora e de toda equipe pedagógica”, conta.

A reação oposta também é comum, e chega a ser surpreendente quando os pais esperam uma crise de choro. “Aos 3 anos era o início da vida social do pequeno, sem papai e mamãe do lado. Esperei que ele chorasse ou reclamasse, mas isso não aconteceu. Ele ficou muito feliz, apaixonado por tudo e encantado com todos da escola”, conta Elizabete Plácimo, mãe de Enrique.

ACEITANDO A ESCOLA COMO A NOVA FASE DA VIDA

Fácil não é para nenhum dos dois lados, mas antes de serem invadidos pelos pensamentos de culpa, os pais devem se policiar para enxergar a escola como uma nova fase da vida dos filhos. Além disso, é importante que não transmitam para a criança que escola é uma coisa negativa, facilitando, assim, a adaptação quando o momento chegar.

Com base nas orientações da pedagoga Priscilla Custódio, da Escola do Futuro, e da diretora do Colégio Itatiaia Cláudia Razuk, seguem algumas dicas do que fazer antes de colocar a criança na escola e durante o período de adaptação:

1. Visite escolas no período de aula. A criança terá a oportunidade de ver outras crianças no ambiente e os pais poderão ver o funcionamento e a política do colégio na prática.

2. Peça referências ao pais com filhos da mesma idade. Mas evite visitar só uma escola ou matricular a criança na primeira referência que visitar. Procure conhecer a proposta pedagógica de cada uma das escolas para ver qual delas se adapta melhor à base educacional familiar.

3. Procure adaptar seus horários na primeira semana para acompanhar a criança na escola. Algumas escolas não só permitem como encorajam os pais a permanecerem nas dependências no período de adaptação escolar da criança.

4. Evite chorar na frente da criança ao se despedir. O referencial de segurança dela são os pais, e se a mãe ou o pai demonstra insegurança na hora de deixá-la na escola, seu primeiro impulso será pensar que há algo de errado com o lugar.

5. Cabe à mãe ou pai entregar a criança ao educador, colocando-a no chão e incentivando-a a ficar na escola. Não é recomendável deixar o educador com o encargo de retirar a criança do colo da mãe, pois a criança pode assimilar o educador como a pessoa que o tira dos braços dos pais.

6. Nunca saia escondido do seu filho. Despeça-se naturalmente para que ele entenda que o tempo de ficar na escola faz parte da rotina dele.

7. Incentive a criança a procurar a ajuda do seu educador quando necessitar algo, para que crie laço afetivo com ele e estabeleça uma relação de confiança e respeito.

primeiro-dia-de-aula-bebe-03

8. A adaptação das crianças de período integral deve ser feita inicialmente em um turno.

9. A autoridade na sala é o educador. Mesmo nas escolas que permitem a presença dos pais nos primeiros dias, é de bom tom evitar alguma interferência, a menos que solicitada. Essa atitude irá ajudar a criança a entender que deve respeitar o educador e evitar conflitos com a percepção das outras crianças da sala.

10. Procure adaptar a criança aos horários da escola antes mesmo do início das aulas. É muito comum crianças iniciarem o processo de adaptação na escola bem no horário em que, pela rotina de casa, deveriam estar na hora do cochilo, por exemplo. Se a criança está com sono, sua receptividade às mudanças e novidades ficará prejudicada, dificultando o processo.

 

leia-tambem

COMO-FAZER-O-CPF-DO-BEBE    FOTO-3X4-DO-BEBE    COMO-FAZER-O-RG-DO-BEBE    A-HORA-CERTA-DE-COLOCAR-FILHOS-NA-ESCOLA

Esmalte Antonieta da Granado

esmalte-antonieta-granado-01

Preciso fazer um vídeo mostrando como faço minhas unhas, todo o processo que armo aqui para poder pinta-las. E como uma pessoa que costuma fazer as próprias unhas e consegue pintar a mão esquerda {pausa para aplausos}, felicidade nessa vida é encontrar um esmalte que só precise de uma camada. Desde a coleção Bailarinas eu percebi que mesmo as cores claras dos esmaltes Granado tem uma boa cobertura com uma só camada. Ao pintar as unhas com o Antonieta, o rosa claro da coleção Rainhas, confirmei essa afirmação. 

esmalte-antonieta-granado-03

O Antonieta me lembrou o Margot da coleção Bailarinas {tem foto dele aqui}, sendo o Margot com o fundo mais quente, e o Antonieta um pouco mais frio. Falando no Margot, foi pintando com ele que constatei que só precisava passar uma camada para atingir uma boa cobertura. Que bom que a fórmula continua assim!

Os esmaltes da marca são hipoalergênicos, e podem ser encontrados nas lojas Granado espalhadas pelo Brasil ou pela loja virtual.

esmalte-antonieta-granado-04

 

leia-tambem

ESMALTE-VICTORIA-GRANADO    ESMALTE-CATARINA-GRANADO    COLECAO-RAINHAS-GRANADO    O-ESMALTE-DE-INES-BABILONIA

Batom Balm Natura Aquarela

natura-balm-01

Os batons em formato de lápis agora fazem parte da cartela de produtos da Natura. O Batom Balm da linha Aquarela vem com oito opções de cores e sua fórmula contém manteiga de karité e vitamina E com ação antioxidante, que proporciona super-hidratação por até 24h. Os batons lápis da linha são cremosos, e com esse formato prático, o produto garante maior precisão na aplicação, deslizando facilmente nos lábios.

A Natura me enviou três cores para testar: Vermelho, Rosa Claro e Boca. Todos são cremosos, sendo o Rosa Claro e o Boca levemente translúcidos e o vermelho mais pigmentado {um tom lindo de vermelho, por sinal}. A promessa de hidratação é cumprida, porém, por ter uma textura cremosa, nos meus lábios o batom sai mais rápido do que os de acabamento matte.

natura-balm-02

O Boca e o Rosa Claro tenho usado bastante, são cores ótimas para usar no dia a dia; já o vermelho tenho usado bem menos porque não me adapto bem a cores escuras com textura tão cremosa, mas essa é uma preferência bem pessoal. Os mais claros para mim são perfeitos nessa época mais fria, porque mesmo sem inverno rigoroso, meus lábios tendem a ficar bem ressecados.

Para quem gosta dos batons mais cremosos eu acho que o Batom Balm é uma ótima escolha! Falando nisso, acho que um bom batom vermelho cremoso deixa aquele brilho incrível e glam nos lábios como nenhum outro consegue.

batom-balm-natura-vermelho

batom-balm-natura-rosa-claro

batom-balm-boca-natura

O Batom Balm Natura Aquarela é retrátil, não precisa fazer a ponta. Eles tem um cheirinho delicioso de biscoito, e além das cores mostradas acima estão disponíveis também nos tons Rosa, Pink, Marrom, Vinho e Coral. O preço sugerido para cada batom é R$ 32,90.

 

leia-tambem

LAPIS-BATOM    BATOM-VERMELHO-NO-OSCAR    MANIFESTO-BATOM-PINK    OS-BATONS-DE-JLO-NO-AMERICAN-IDOL

Recife Antigo recebe evento de design BORA!

pacoalfandega

Arte, teatro e música se unirão ao design no BORA!, evento de economia criativa que chega à sua segunda edição cheio de novidades. O BORA! surgiu para ser mais que um evento de compras. O objetivo é reunir artistas e marcas locais em um ambiente catalisador de cultura, para que as pessoas possam ter uma experiência muito além do consumo.

No Espaço Design, os estandes serão ocupados por 24 marcas locais. Lá, o público vai encontrar artigos decorativos, com opções de estofados e vasos, produtos de moda e acessórios, com bijuterias, vestidos e calçados. As marcas Arte Espadas, Bresha, Carolina Escobar, Casa87, Collier, Cristina Mac Dowell, Ecohus, Encomende Design, F.A.G, Fattoria, Gigolé, Hipó, Janela Amarela, Joana Moura, Katia Costa Pinto, Lama, Mosca de Padaria, Moscou, Panícula, Prazeres Accioly, Seu Zé, Studio Matte, Terra Flora e Vitalina vão participar do evento.

Assim como na primeira edição, as artes plásticas também terão vez no BORA!. O Espaço Galeria de Arte contará com a exposição de obras dos artistas Rayo, Rodrigo Costa, Cristina Mac Dowell, João Pessoa, Luiz Ribeiro, Jeff Alan, Juliana Souto, Carolina Moura e Liza Siqueira. Todas as peças expostas estarão à venda.

O BORA! será regado à muita música com a discotecagem do DJ Rafoso e apresentação da banda Irmãos de Van Gogh, no sábado. Já no domingo, o DJ Rafoso assume novamente as picapes e o show musical abre espaço para a quinta arte com a encenação de esquetes do Grupo Teatral NAVA.

E claro, porque ninguém é de ferro, para quem quiser beber algo enquanto curte o evento, uma boa notícia: as bebidas estão garantidas com a presença do drink truck Recbeer, que traz diversas opções de cervejas especiais.

Além de se divertir, o público do BORA! também poderá comprar mais barato e fazer uma boa ação. Doando um peça de roupa em bom estado, a pessoa ganha a “moeda Bora”, que garantirá descontos na compra de qualquer produto à venda. Todas as peças arrecadadas serão doadas à ONG Farol52.

idealizadores-bora

O evento conta com produção assinada por Juliana Souto, da Casa 87 e Eduardo Amorim, da Encomende Design; em parceria com a Ecohus e o Paço Alfândega. No sábado (8), o Bora! começa a partir das 15h. Já no domingo (9), o início está marcado para às 14h. A entrada é gratuita. Outras informações: (81) 3038-6056.

Serviço: BORA! | Local: Paço Alfândega | Funcionamento: Sábado (08 de agosto) das 15h às 22h e Domingo (09 de agosto) das 14h às 21h | Entrada Gratuita | Informações: (81) 3038-6056

 

leia-tambem

PROJETO-MINAS-PERNAMBUCO-COM-RONALDO-FRAGA    SIMBOLOS-DA-CULTURA-PERNAMBUCANA-PARA-DOWNLOAD    AJUDE-PEDRINHO-E-A-CHUTEIRA-DA-SORTE-VIRAR-FILME    CADEADOS-DA-AURORA-PADLOCK-LOVE-EM-RECIFE

Família Ibis de hotéis aceita cães

hotel-cachorro-01

Viajar e ter que deixar o bicho de estimação sob os cuidados de vizinhos ou de cuidadores. Que dono de um animalzinho nunca passou por essa situação? E quantas pessoas não deixam de viajar porque não podem levar o pet junto? Agora isso não é mais problema para os hóspedes dos hotéis Ibis.

Desde junho de 2014 os estabelecimentos Ibis e Ibis Styles já aceitam cães de pequeno porte {até 15 kg}, e agora a rede Ibis Budget junta-se à medida para oferecer essa facilidade aos hóspedes.

Para hospedar o cãozinho nos hotéis Ibis Budget basta pagar a taxa de R$ 30 reais por diária para cada pet; no Ibis e Ibis Styles a diária é de R$ 50. No momento do check-in, o cliente deve apresentar a carteira de vacinação do animal atualizada e preencher um formulário de responsabilidade. O formulário confere ao dono a responsabilidade de trazer todo o material necessário para o cuidado do animal (alimentação, higiene, guia etc.), assim como da limpeza de resíduos sólidos e líquidos. Ele também será o responsável por ressarcir qualquer dano causado ao apartamento ou nas dependências do hotel. Não é permitido deixar o animal sozinho no quarto.

hotel-cachorro-02

No Brasil, segundo dados do IBGE de 2013, as famílias cuidam de 52 milhões de cães. O número de famílias que criam pets já superou o número de famílias com filhos – 45 milhões de crianças. Diante deste cenário, nada mais natural que desenvolver o hábito de viajar também com esses pequenos companheiros, serviço associado normalmente a hotéis de luxo, e, agora possível também na maior rede de hotéis econômicos do país.

Pensando no bem estar dos cãezinhos, foram tomados cuidados como a compra de produtos específicos para a limpeza de ambientes com animais. Algumas regras também foram estabelecidas para garantir o conforto daqueles que não têm afinidade com cachorros. Os animais só podem circular com guia ou em caixas e bolsas exclusivas para seu transporte. Além disso, não é permitida a circulação nas áreas como bar e restaurante.

 

leia-tambem

ROUBADAS-DE-VIAGEM-EU-INDIA-BARATAS    QUARTO-DE-HOTEL-INSPIRADO-OS-VINGADORES    TAGS-PERSONALIZADAS-DE-VIAGEM    COMPORTAMENTO-DE-BEBES-EM-VIAGENS

 

Templo Budista de Três Coroas

templo-budista-tres-coroas-01

Escolhemos um dia que oscilava entre chuva fina e um tímido sol para conhecer o Templo Budista Khadro Ling, em Três Coroas, a 30 km de Gramado. Se o tempo não contribuiu para formar o cenário perfeito, passou batido, porque o local é tão incrível e tem uma energia tão boa, que, faça chuva ou faça sol, a visita é surpreendente.

O acesso ao templo fica no município de Três Coroas, no sentido Taquara-Gramado. Embora o Khadro Ling seja provavelmente uma das principais – se não a principal – atrações da cidade, poucas foram as sinalizações que vimos no trajeto feito partindo de Gramado. Nada que a boa e velha parada para perguntar o caminho não resolva.

Por estar localizado no topo de uma serra, o caminho para o centro tibetano é uma subida constante, numa estrada que só é calçada até um ponto e daí em diante é feita de terra batida até a chegada ao templo. O momento zen budista para adentrar o centro começa ainda no carro, com um grande teste de paciência que é a espera e a ansiedade para chegar logo, percorrendo uma estrada que parece não ter fim. É só respirar fundo – e quem sabe entoar um mantra – porque ao chegar no Khadro Ling, logo de cara a gente percebe que cada minuto do sinuoso acesso valeu à pena.

templo-budista-tres-coroas-02

templo-budista-tres-coroas-03

templo-budista-tres-coroas-04

templo-budista-tres-coroas-05

Basta colocar os pés no chão para ser levado para a Tailândia, a Índia, o Camboja ou para o Instagram de Zeca Camargo em uma de suas visitas à Ásia. Voltando do devaneio, e por mais atraente que uma viagem e uma imersão na cultura asiática possa soar como música aos nossos ouvidos, visitar o Templo Budista de Três Coroas nos faz perceber que não é preciso mudar de continente para contemplar tanta beleza. Basta inspirar e expirar o ar das montanhas e deixar que a alma seja invadida pela mais pura energia da mistura de fé e natureza.

templo-budista-tres-coroas-06

templo-budista-tres-coroas-07

O local é destinado ao estudo e à prática do budismo, mas está aberto à visitação pública de quarta à domingo. Se o budismo não é sua prática religiosa, não deixe que isso interfira na sua visita ao lugar. Ao contrário de algumas religiões, em que os seguidores tentam a qualquer custo convencer de que o que é professado pela sua crença é o caminho para a salvação, durante a sua visita ao Khadro Ling ninguém irá abordá-lo e muito menos tentar convencê-lo de que o que é praticado ali é a verdade suprema. Sendo assim, se conflitos religiosos o deixam num dilema, tente simplesmente apreciar a arquitetura e a energia emanada pela natureza que circunda a área do templo. Aos interessados na prática, aos domingos há meditação aberta ao público às 09:00 {recomenda-se chegar com 15 minutos de antecedência}.

templo-budista-tres-coroas-08

templo-budista-tres-coroas-09

templo-budista-tres-coroas-12

O acesso ao Templo Budista é gratuito, e doações para a manutenção do local podem ser feitas lá mesmo. A organização solicita apenas que grupos acima de 10 pessoas agendem a visita antecipadamente {veja como agendar visita em grupo ao Khadro Ling}.

templo-budista-tres-coroas-10

templo-budista-tres-coroas-11

Serviço: Templo Budista Khadro Ling – Estr. Linha Águas Brancas, 1211 – Três Coroas/RS | Dias e horários de visitação: Quartas às sextas: das 9h30 às 11h30 e das 14h às 17h – Sábados e domingos: das 9h às 16h30