16 de janeiro de 2010 | Blog Oxente Menina

Livro do fim de semana: O Símbolo Perdido

Desde que eu li “O Código Da Vinci”, numa viagem de busão que fiz de Recife pra Fortaleza, e não consegui largar o livro em nenhum momento, virei fã de Dan Brown.

Pouco me interessa se muito do que ele fala em suas histórias é mentira, ou se é ofensivo para a igreja/maçonaria/gente fresca, e pouco me interessa também se a crítica o desvaloriza por ele ter se tornado um autor “popular”. Pra mim, livro bom é o livro que me prende, e os dele conseguem exercer esse poder em mim.

Sabe aqueles livros que, mesmo um pouco previsíveis, deixam a gente aflita e sem ar, doida pra saber o que vai acontecer no parágrafo seguinte? Eu fico assim quando leio, kkkkkkkk!

Por isso fiquei feliz quando vi o novo livro do autor, “O Símbolo Perdido”, e fui correndo comprar. Tô ainda no comecinho, mas já estou adorando.

Sinopse do livro: “Depois de ter sobrevivido a uma explosão no Vaticano e a uma caçada humana em Paris, Robert Langdon está de volta com seus profundos conhecimentos de simbologia e sua brilhante habilidade para solucionar problemas. 
Em O símbolo perdido, o célebre professor de Harvard é convidado às pressas por seu amigo e mentor Peter Solomon – eminente maçom e filantropo – a dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos. Ao chegar lá, descobre que caiu numa armadilha. Não há palestra nenhuma, Solomon está desaparecido e, ao que tudo indica, correndo grande perigo. 
Mal’akh, o sequestrador, acredita que os fundadores de Washington, a maioria deles mestres maçons, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse. E está convencido de que Langdon é a única pessoa que pode localizá-lo. Vendo que essa é sua única chance de salvar Solomon, o simbologista se lança numa corrida alucinada pelos principais pontos da capital americana: o Capitólio, a Biblioteca do Congresso, a Catedral Nacional e o Centro de Apoio dos Museus Smithsonian. 
Neste labirinto de verdades ocultas, códigos maçônicos e símbolos escondidos, Langdon conta com a ajuda de Katherine, irmã de Peter e renomada cientista que investiga o poder que a mente humana tem de influenciar o mundo físico. O tempo está contra eles. E muitas outras pessoas parecem envolvidas nesta trama que ameaça a segurança nacional, entre elas Inoue Sato, autoridade máxima do Escritório de Segurança da CIA, e Warren Bellamy, responsável pela administração do Capitólio.
Como Langdon já aprendeu em suas outras aventuras, quando se trata de segredos e poder, nunca se pode dizer ao certo de que lado cada um está. Nas mãos de Dan Brown, Washington se revela tão fascinante quanto o Vaticano ou Paris. 
Em O Símbolo Perdido, ele desperta o interesse dos leitores por temas tão variados como ciência noética, teoria das supercordas e grandes obras de arte, os desafiando a abrir a mente para novos conhecimentos.”

Vou ali, mas volto logo!

Esse final de semana vou dar uma escapadinha de leve. To indo pra Tamandaré, essa praia linda aí da foto, pertinho de Porto de Galinhas. O litoral sul de Pernambuco é muito lindo, gente! Quem não conhece ainda, vale a pena fazer uma visitinha.

Sei que não vai dar pra pegar uma corzinha, porque com esse meu tom de pele bicho-de-goiaba, tenho que passar protetor 50 no rosto e 30 no corpo, aí não vai dar tempo de pegar uma cor de gente. Mas pelo menos vou estar na praia… relax total!

Relax em parte, porque amanhã tem show do Asa (Durval, #beijomeliga!) e eu e o maridovzky vamos. Um pouquinho de movimento de vez em quando faz bem, né? Apesar de não ter mais idade a mesma disposição de uns aninhos atrás, o Asa é a única banda da Bahia que consegue me tirar de casa. Foi-se o tempo em que eu corria atrás do trio e não ficava com preguiça de ir no outro dia…

Domingo tô de volta! Bom final de semana procês, e se cuidem!

Close