5 de abril de 2010 | Blog Oxente Menina

Bom atendimento é tudo… ou nada!

No encontrinho não-oficial que aconteceu no último sábado, aconteceu um fato interessante. Um dos vários assuntos sobre os quais conversamos foi a atitude que cada uma tomava quando recebia comentários agressivos ou ofensivos em seus blogs. Eu falei que quando recebia críticas, não só publicava o comentário como também levava em consideração o que havia sido dito {não sou uma pessoa orgulhosa de achar que “esse é o meu jeito, aguente quem quiser”. Se eu puder mudar para melhorar, vou sempre procurar fazê-lo}, e no caso de ofensas gratuitas ou intenção de criar inferninho, simplesmente recusava o comentário e morria o assunto.

E uma das coisas que eu falei, que é meio que um motto na minha vida é que, quando eu estou certa, eu argumento, brigo, corro atrás! Talvez vocês estejam pensando: “ihhh, barraqueira”, mas nem sou. Só acho que nós – brasileiros em geral – somos muito passivos, aceitamos tudo sem reclamar ou correr atrás dos nossos direitos e nos acomodamos com qualquer desculpa esfarrapada. E eu tenho sérios problemas para aceitar essa passividade.

Pois bem, voltando ao encontrinho, conversamos sobre esse assunto e ali mesmo ele morreu para dar lugar a outras várias conversas. {Vale ressaltar que, mesmo com esse inconveniente no final, a tarde fluiu maravihosamente bem na companhia de pessoas maravilhosas.}

Imagino que o pessoal da patisserie tenha ouvido trechos das nossas conversas e resolveu fazer um teste prático conosco. Eles só não imaginaram que pegariam a pessoa errada…

Na hora de pagar a conta, cada uma conferiu o valor que devia e uma parte resolveu pagar no cartão de crédito. A história começou estranha quando a mocinha do caixa disse que já deveríamos falar o valor exato que seria debitado em cada um dos cartões. Mas peraí, como assim? Passa um de cada vez, cada um calcula o valor aproximado (contando os 10% do serviço, claro!), e o último paga a diferença pra fechar o total da conta. Não é quase sempre assim que funciona quando vamos em bares e restaurantes com um grupo de amigos? {Antes que vocês digam que sempre tem um espertinho que se faz de doido e esquece o que consumiu ou esquece os 10%, eu sei disso. E como sei! Mas o fato aqui relatado é entre pessoas de boa índole e educadas, rsrsrs}

Com a pressão da mocinha pedindo o valor, falei pra Camila – que era a primeira da fila – que a minha conta daria aproximadamente R$ 30,00 e que quando chegasse a minha vez a moça passaria no meu cartão o valor que estivesse em aberto, fosse menos ou mais do que o valor que eu realmente havia consumido.

Calhou de eu ser a última, e quando cheguei no caixa a moça já havia passado o meu cartão no valor de R$ 30,00. Para me certificar, sabendo que todas as meninas tinham passado um pouquinho a mais para arredondar, perguntei se o valor exato para fechar a conta era aquele. A partir daqui vou relatar em diálogo, para vocês se sentirem no clima:

Eu: O valor exato para fechar a conta é esse? Não está faltando nada?

Moça-atenciosa: Foi o valor que a sua amiga mandou passar.

Eu: Tudo bem, é porque você estava perguntando os valores em cada um dos cartões, e eu falei o valor aproximado. Mas você não tinha que ter passado no último cartão o valor exato para fechar a conta?

Moça-atenciosa: Se você não queria passar esse valor, então não mandasse a SUA AMIGA informar esse valor. É pra cancelar? Se quiser eu cancelo.

Eu {chocada}: Veja só, eu não quero cancelar, quero só entender se esse realmente é o valor devido, porque sei que elas deram a mais para arredondar.

Nesse momento ela começou a resmungar umas coisas do tipo: “Eu mereço, em pleno feriado ter que aguentar essas coisas, e blá blá blá…”

Moça-atenciosa: E você está esquecendo dos 10% do garçom.

Eu: Os 10% são opcionais. De qualquer forma, gostamos muito do serviço dele e todas pagaram sua parte considerando essa porcentagem. A única coisa que quero saber é se o valor total da conta menos o que já foi pago é o que você está debitando do meu cartão, ou se estamos deixando dinheiro de presente aqui pra você.

Nessa hora eu já estava beeeeem puta e já estava mais do que claro que ela estava cobrando a mais. Até porque se fosse menos, ela teria falado logo de cara, né? E com a minha insistência, ela me mostrou que a diferença era de quase R$ 7,00.

Moça-atenciosa: Se é presente ou não, não interessa. Esse é o valor que a SUA AMIGA mandou passar. E é assim que o sistema funciona.

Eu {já bufando de raiva e tentando manter a compostura}: Já pagamos os 10% que cabe a ele, e se quiséssemos deixar mais algum dinheiro a decisão partiria de nós, e não de você. E o sistema não funciona assim, ou você nunca ouviu falar em parcial? Eu tenho comércio, sei como funciona. Você é muito insolente em discutir comigo uma coisa que você não tem razão e ainda se recusou a me informar o valor correto. O troco você vai me dar em dinheiro mesmo?

Moça-atenciosa {com oidjo no coração e cara de poucos amigos}: Vou. E se tem alguém insolente aqui, esse alguém é a senhora.

Recebi meu troco, pedi ao garçom um cartão com o telefone do lugar e o nome da mocinha anotado para poder ligar para o gerente da casa. Enquanto ele fazia isso ela ainda teve a petulância de gritar:

Moça-atenciosa: Venha aqui amanhã, SENHORA! O gerente vai estar aqui e você pode falar com ele pessoalmente.

Eu: Obrigada pelo informação. Posso fazer isso pelo telefone mesmo.

Nesse vai-e-vem, acabou que ela me deu o troco e ficou com meu cartão, e quando entrei no carro ela me ligou dizendo: “A senhora estava tãaaaao estressada que esqueceu o seu cartão aqui”. Voltei lá no alto dos meus sapatos 8cm marrom de tachinhas e peguei o meu cartão, não sem antes agradecer.

Gente, que raiva que eu fiquei! Não é pelo dinheiro, porque graças a Deus cinco reais a mais ou a menos não vão me fazer nenhuma diferença. Mas não suporto desonestidade e petulância, e pra mim não importa se você pega um ou mil reais, se não é seu e nem é devido, é roubo. Sem falar na atitude dessa moça, que em momento nenhum deveria ter discutido comigo. Não sou daquelas que acha que o cliente sempre tem razão, porque nem sempre tem, mas nesse caso a situação era bem clara e ela tinha que ter feito o procedimento correto.

Parafraseando o Comando Vermelho {#ironiasdavida}: o certo é o certo, não é o errado e nem o duvidoso.

Ainda não liguei para falar com o gerente do local, mas assim que o fizer, conto aqui pra vocês o posicionamento da casa.

P.S. Eu nem tô na TPM, mas não podia esperar pra contar isso pra vocês.

Sorteio Novex Hair Power

Essa semana recebi uma mega encomenda da Embelleze contendo o Novex Hair Power. {Mega meeeesmo, porque o pote de creme é enorme!}

A embalagem me chamou a atenção por ser bem parecida com frascos de vitamina. Sabe aqueles produtos que os ratos de academia usam pra ficar bombados o pessoal que faz muito exercicio usa como suplemento vitamínico? Pois então, é dessas embalagens que eu tô falando.

E daí que me informando melhor sobre os benefícios da Novex HP, descobri que o conceito é justamente o de deixar o cabelo “em forma”, aliando em um só produto força, nutrição e energia. Gostei dessa proposta!

Como recebi essa semana, ainda nem deu tempo de usar e fazer uma avaliação, mas não consegui me controlar e vir aqui contar que recebi dois kits: um pra mim e um pra vocês! Yes baby, sorteio!

Regrinhas:

  1. Ser seguidora do blog;
  2. Preencher o formulário abaixo com Nome, Nome de Seguidora, E-mail e Cidade/Bairro;
  3. O sorteio será feito dia 10/04 pelo Random.Org e divulgado aqui no blog na mesma data. A ganhadora terá 3 dias para entrar em contato comigo pelo blog ou pelo e-mail. 
  4. Válido apenas para residentes em Recife ou cidades vizinhas, e que possam retirar o brinde pessoalmente.


Quem não mora em Recife, não fique triste, ainda em abril vou trazer outras novidades pra vocês!

Close