Aquela estranha moda…

Me sinto cada vez mais fora de moda. Parece que o sinônimo de fashion hoje em dia é sairmos de casa vestidos como se estivéssemos indo para um baile de carnaval. Nada contra os bailes de carnaval, diga-se de passagem, só acho que aqueles acessórios coloridos e chamativos deveriam ficar guardados em fevereiro.

Houve um tempo em que moda remetia à elegância, mulher considerada chique era aquela que vestia uma calça de alfaiataria preta bem cortada e parecia flutuar em cima de belos e duradouros scarpins. Um vestido clássico adornado com o acessório certo então, foto de revista na certa! Hoje o clássico aparentemente é entediante, e o entediante virou descartável.

Não quero tentar convencer ninguém de que o clássico é uma regra e que esse estilo deve ser adotado como uniforme para todos. Isso sim, seria entendiante! Acredito que as transformações e adaptações são importantes: mistura de estampas, sobreposições e  mesclagem de estilos não só são benéficas para a moda, como são super válidas para comunicar a personalidade e a necessidade de expressão de um indivíduo,  porém – e que me perdoem os ultra-master-mega-blaster fashionistas – às vezes inovar e misturar demais acaba em um grande desastre.

A busca pela inovação e pioneirismo de ideias, associados à saturação do mercado da moda {tendo os blogs do segmento uma grande parcela de culpa}, tem resultado em criações catastróficas. E sem essa de que “é uma expressão artística e cultural do movimento neo-vanguardista da moda”, certas coisas são simplesmente ridículas.

O diferente não é necessariamente lindo, o conceitual que desfila nas passarelas não precisa ser seguido à risca sem filtros, e mesmo que a moda não seja bela o tempo todo, não precisamos de alegorias espalhafatosas para estar dentro desse contexto grandioso.

E estilos e ideias a parte, que Santa Maria Chanel perdoe os nossos pecados fashion e nos conduza ao chique e elegante. Amém.

Facebook Comments
30 comments Add yours
  1. Quando vi essa sandália imaginei um brinquedo: a parte branca seria uma molinha para as crianças saírem saltitantes pela rua.
    Como calçado adulto, nem como peça conceitual consigo achar beleza.

  2. Estou na mesma opinião! Há tendências & modas que simplesmente não dá para acreditar de mau demais que são!! Essa colecção da Prada é um bom exemplo disso.. Cada peça que eu via, mais desiludida e desiludida ficava!! Parece que a moda se tornou uma indústria mais para o momento e espalhapafato, e poucos são os designers que se mantém fiéis ao conceito de elegância! A sorte é que as colecções acabam por ser tão rotativas, que os designers que tiveram péssimas ideias para o Verão, logo a seguir no Inverno vêm e nos surpreendem super positivamente!
    Sou a favor do estilo pessoal, e de não cair na rotina, mas aliás é tudo uma questão de nos sentirmos bem, e a verdade é que se gosto de algumas tendências meio loucas, como misturar padrões e afins, depois há outras coisas que não dá mesmo para acreditar!

    <3

    1. De acordo! E é bem como vc falou, ainda bem q tão logo acaba a apresentação de uma coleção, a seguinte já está na agulha, e dependendo de como a seguinte vem, apaga o fiasco da primeira. Algumas coisas realmente não tem como deixar passar, são o cúmulo do mau gosto.
      Bjoss

  3. Meninas, me desculpem, eu sei que algumas coisas a gente só pensa mas… A Anna Dello Russo é uma catástrofe com qualquer roupa. E viva Kate Middleton!

  4. é, em sempre o “uau” da passarela funciona nas ruas!! pode ser conceitual, ludico, mas realidade minha linda cade vc?? rsrs

    basta usar o “semancol” ná Ana?? rs bjuu ótima semana

  5. Se eu andar nas ruas de HellCife com isso, o povo vai, no mínimo, dizer que fugi do Ulisses Pernambucano. :P
    Versão “shoes” do pogobol foi ótimo! kkkkkkkkkk
    Adorei o post e espero, sinceramente, que Santa Maria Chanel interceda por todas nós. hahaha
    Bjo

  6. Isso deve ser bom pra endurecer as pernas né, calça e sai pulando igual canguru, melhor que spinning, subir escadas, eliptico.

    Aff essas “tendença” e a falta de “filtro” dos seres humanos… até quando??
    Vou de sapatilha, jeans e camiseta e “mim” deixe na minha modesta simplicidade tsá!

    Beijos sua linda!!

  7. Juro que queria esse sapato da foto para trabalhar, não me julguem mas ele tem uma cara de confortável né? ;)

    Eu refleti muito sobre isso nos últimos tempos Ana Lu, meio que me cobrava demais com relação a usar sempre o que é tendência deixando meu estilo que é bem básico de lado. Tanto que comecei a ver que tudo no meu guarda roupa andava desconexo demais. O pior é quando vejo meninas, aqui no Nordeste mesmo, trabalhadas em montações ridículas, do tipo usando coletes de pele durante o dia rsrsrsr

    1. Não vou julgar, mas acho ele tão feio q nem consigo considerar o provável conforto, rsrs,
      Somos duas, parei pra pensar principalmente nesse consumismo louco e nessa história de “must have”. Na boa, precisar mesmo, não preciso de nada, então agora só compro o que sei que vou usar.

  8. Sempre passo pelo teu blog mas não sou de comentar, porém hoje deu vontade! Rapaz, cada um que use o que quiser. Colorido ou tudo black, tanto faz! Acho que tem no discurso de “elegância” de muita gente “entendida de moda” um eurocentrismo do caramba. Tem muita gente que usa esse termo por puro peruismo incubado. Acho ultimamente que na moda os asiáticos é que são mais bem resolvidos que nós, botam pé no acelerador e usam o que der na telha, são autênticos pois levam a coisa toda como uma forma de expressão artística mesmo. Já faz um tempo que a moda ocidental ( em especial a brazuca) está chata, numas de ditadura “jovem-senhora”, como naqueles looks das moças F*Hits (que por sinal ajudaram muito a azedar o barato que é se vestir!) Realmente tem coisas pouco ou nada usáveis em alguns desfiles, mas daí a ficar incomodado com isso ou se sentir fora de moda não faz muito sentido. No final das contas, na minha opinião, acho meio pedante ficar seguindo tendência, para mim soa como pegar o resto que sobrou do mundo da moda, a idéia totalmente já diluída e idiotizada e ficar ostentando como se fosse “original”.Talvez seja suspeita em falar isso, já que venho da esfera das artes plásticas, mas de qualquer forma acho mais legal ver fotos de rua de jovens coreanos/japoneses que usam sapatos como esse da foto acima, com “aqueles acessórios coloridos e chamativos” e adaptar para meu cotidiano do que ver a foto do ultimo desfile da Chanel. Inspira muito mais !

    1. Oi Camila. Em nenhum momento foi decretado que alguém está proibido de usar qualquer coisa. O que está exposto aí é a minha opinião, da mesma forma que vc está expondo a sua. Sim, sou a favor de autenticidade, mas não do ridículo. Talvez o que é ridículo pra mim seja elegante pra vc, mas podemos viver numa boa com isso. Ao contrário do que vc falou, isso não me deixa incomodada, mas me sinto livre para expressar a minha opinião e deixo o espaço aqui sempre aberto pra vc expor a sua. Bjos

  9. Lu,como sempre, concordo plenamente com você,o que vemos hoje em dia,eu poderia dizer que é um show de bizarrice, é tanta moda esquisita,que eu não usaria nem sob tortura.

    BJS!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.