25 de junho de 2013 | Blog Oxente Menina

Diário da gravidez: capricho de mãe

Certos caprichos só as mães tem. Ou melhor, certos caprichos só as nossas mães têm. Quando escrevi o post Mala de memórias, lá no comecinho de 2012, as palavras que consegui expressar nem de longe conseguiram transmitir a emoção que eu senti ao ver todas aquelas coisinhas guardadas pela minha mãe desde que eu era criança. Depois de ver todo o conteúdo da minha malinha e da de Felipe, e relembrar momentos que estavam guardadinhos lá no fundo da minha memória, achei que nada mais que a minha mãe me mostrasse iria me surpreender.

Mais enganada impossível. Desde que me descobri grávida e os paparicos por parte da família e dos amigos começaram, pensei que qualquer presente que recebesse me trariam os mesmos sentimentos de carinho e gratidão. Nessas horas nem passa pela nossa cabeça o preço das coisas, pois sabemos que tudo que é ofertado a um bebê vem de coração por parte de quem deu. Mas algumas coisas vêm de coração e de alma, e a emocionante surpresa veio por parte da vovó materna de Luca {mesmo antes de saber que era um príncipe que estava à caminho}.

Em uma rápida visita aqui em Recife, minha mãe trouxe de Natal alguns presentes que me fazem ter certeza, independente do que Luca vier a receber, que são os presentes mais especiais do mundo! Cinco lençóis que foram de Felipe {de 23 anos atrás!} agora fazem parte do enxoval de Luca. O mais surpreendente é que todos – sem exceção – estão novíssimos, sem nenhuma mancha, e super cheirosos, lavados com um carinho especial que só vovó Laís pode dar.

E quando eu pensava que já tinha visto o ápice do cuidado e capricho preparado pela avó materna de Luca, eis que ela me mostra outro lençolzinho acompanhado de uma camisa pagão de linho: a roupinha que eu usei no meu batizado. Um carinho guardado como num pote de conserva de algodão-doce que ultrapassou nada menos do que 34 anos!

No dia que meu filhote puder entender essas coisas, quero passar para ele pelo menos um pouquinho de toda o significado emocional que esses pedacinhos de pano conseguem deixar gravados entre suas linhas e bordados macios.