23 de julho de 2013 | Blog Oxente Menina

Diário da gravidez: os movimentos do bebê

Cara de boba. Acho que essa é a expressão mais constante no meu rosto ultimamente. Nem poderia ser diferente, cada descoberta na gravidez tem me deixado mais feliz e emocionada, o que só faz aumentar a minha suspeita de que quando o bebê nascer um anjo vai soprar e vou ficar com esse sorriso bobo no rosto para sempre.

Eu tinha comentado certa vez no meu Facebook pessoal que cada mexidinha do bebê me deixava em êxtase, e minha mãe até comentou que encantada mesmo eu ia ficar quando começasse a ver a barriga mexendo por causa dos movimentos de Luca. Parece que mãe nunca erra mesmo. Semana passada estava eu trabalhando tranquilamente em casa quando comecei a sentir ele mexendo. Nessas horas eu sempre paro para conversar com ele, só que dessa vez, por curiosidade, levantei a blusa folgada para sentir a barriga, e quando me dei conta Luca estava fazendo a barriga de mamãe mexer. Fiquei rindo sozinha em casa, e na mesma hora mandei mensagem para o meu marido para contar o novo feito do nosso príncipe. Ele, como papai coruja e babão que é também, ficou louco!

Quando exatamente a mãe começa a sentir o bebê mexer?
Já vi relatos de pessoas que começaram a sentir entre a 10ª e a 12ª semana, e outras que disseram que só começaram a sentir perto da 20ª {dizem que as mães de segunda viagem começam a identificar os movimentos mais cedo}. Pois bem, por volta da 14ª semana eu comecei a sentir umas tremidinhas na barriga, parecia umas borboletinhas voando, ou uns peixinhos fazendo bolinhas no meu útero, mas como mãe de primeira viagem acreditava se tratarem apenas de gases ou a barriga roncando de fome mesmo – embora não estivesse sentindo fome e nem o desconforto dos gases.

Na 17ª eu já conseguia identificar facilmente o que era fome, o que eram gases e o que era a animação de Luca fazendo dancinhas dentro da minha barriga. Nessa época só eu sentia, e quem colocava a mão na minha barriga para ver se conseguia sentir o movimento do bebê, sentia apenas a maciez da minha pele {risos}. Inclusive na época eu estava em Natal, e sempre que eu dizia que ele estava mexendo a minha mãe colocava a mão na minha barriga para ver se sentia o netinho. E nada. {Mais um privilégio que só as mães sentem!}

E aí, finalmente, por volta da 21ª semana comecei a sentir uma rave rolando dentro do meu corpo e Luca no “tuntz tuntz tuntz”. Essa sensação foi – e continua sendo – incrível, e nessa mesma época o meu marido também começou a sentir esses movimentos ao colocar a mão sobre a minha barriga. Agora, entre a 24ª e a 25ª semana, os chutes e socos começaram com maior intensidade, e eu confesso que nunca pensei que a felicidade me invadiria ao levar um chute!

Mal posso esperar para ver o formato de um pé na minha barriga, mas até lá eu espero. O que posso dizer é que estou curtindo intensamente cada uma dessas fases, e a alegria que sinto hoje é maior do que a descoberta da gravidez, e provavelmente menor do que a que irei sentir quando o baby chegar.

Close