Enxoval de bebê na Fenearte

Uma dica para os pais e mães que se preparam para a vinda de seus filhos é uma visita nesses últimos dias de Fenearte, que está acontecendo no Chevrolet Hall. Em vários corredores, os visitantes encontram roupinhas,  almofadas, material de cama e decoração que remetem ao universo infantil.

Um dos pontos para comprar roupas infantis é o Patchwork – Arte em enxovais, no estande do 200. A coordenadora do espaço é Monalisa Patrícia, que também se prepara para receber seu bebê. Grávida, Monalisa ajuda a vender a produção da sua mãe, que é de Passira e vem expor seus produtos na Fenearte desde a primeira edição. Os conjuntinhos da artesã variam entre R$ 35 e R$ 80. Os sapatinhos, costurados em diversas cores, custam R$ 15. Outra boa opção é o Rococó da Vovó, que abraça o tema desta edição e traz a renda para o vestuário infantil, variando seus preços entre R$25 e R$ 100. Mantas de vários modelos são encontradas por R$ 80 e os babadores estão por R$ 10.

Durante a gravidez, a escolha dos nomes pode durar mais do que os nove meses de gestação. No estande 451, a ajuda pode vir em madeira. No ambiente, placas decorativas exibem alguns dos nomes mais comuns e explicam a origem e seus significados. O preço é tabelado em R$ 30. O lugar é ideal também para quem escolheu um nome exótico. “Nós fazemos qualquer um na hora e a pessoa ainda escolhe os acessórios de decoração”, diz o artista Jonas Cristovão.

No estande 421, uma aquarela de cores forma o espaço do Lar do Neném. As almofadas e outros objetos de decoração que enchem as prateleiras são feitos por mães e voluntárias. Elas são preparadas por oficinas de artesanato para gerar renda para a instituição que é não governamental e recolhe crianças de zero a três anos em situação grave de risco social ou abandono. “A produção funciona como uma maneira de procurar a reinserção das crianças que acolhemos em suas famílias”, disse a diretora do voluntariado, Tuti Moury. “A Fenearte tem sido sempre um momento muito bom de marketing, visibilidade e geração de renda”, completou a diretora suplente Inês Lemos.

Nada de jogos eletrônicos para quem ainda lembra das bonecas de pano. No estande 490, brinquedos artesanais chamam a atenção das crianças da nova geração. Marionetes, peões e quebra-cabeças fazem a alegria das crianças e trazem nostalgia aos pais. Além de muitos outros, os estandes 450, de Abraão Figueiredo, 440, e o 22, dos moradores de Passira, também reúnem enxoval, fraldinhas, pegadores de chupeta e decoração de quarto e já apresentam algumas promoções.

Crédito das imagens: Ju Brainer / Divulgação


Facebook Comments
6 comments Add yours

Deixe uma resposta para Priscila Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.