Cesárea humanizada | Blog Oxente Menina

Minha cesárea humanizada

Que infartem as ativistas de plantão ao ler o título desse post. Cesárea humanizada? “Impossível!”, algumas dirão; “Ela só quer causar”, outras publicarão e discutirão em um grupo qualquer do Facebook; “De acordo com a OMS, através do Ministério da saúde, foi constatado que a mãe do Oxente Baby mentiu”, a moderadora fodona de um outro grupo irá declarar. Não importa, nada do que disserem irá mudar o fato de quem eu tive um parto extremamente bem assistido e bem cuidado. É, eu tive um parto cesárea humanizado.

Estamos acostumados a ouvir o termo “parto humanizado” atribuído ao parto normal. Nem vou me ater aqui aos benefícios e/ou malefícios de cada um, já dei minha opinião sobre parto normal x parto cesárea, e essa discussão, pelo menos nesse post, não é relevante {e antes que as ativistas arranjem uma brecha para discutir, o espaço nos comentários está sempre aberto}. Na minha humilde opinião, humanizado é tudo aquilo que recebe dedicação, uma atenção especial dada por alguém, geralmente acompanhada – mas não obrigatoriamente – de carinho. Dentro desse entendimento, não consigo arranjar termo mais adequado para descrever o meu parto.

No dia do nascimento de Luca eu cheguei à maternidade tranquila, até parei para comprar flores antes {na minha santa ignorância eu não sabia que não podia levar flores para o hospital} e ainda tive tempo de arrumar a mesa de lembrancinhas e doces. Mas foi só a enfermeira chegar para me levar para a sala de cirurgia que a tremedeira começou. De repente o ar-condicionado ficou mais gelado, o ar ficou mais pesado, a respiração começou a ficar ofegante. Eu estava oficialmente nervosa.

Ainda na cadeira de rodas a caminho da sala comecei a sentir as primeiras demonstrações de carinho vinda de estranhos. A pediatra, que eu ainda não conhecia, veio me cumprimentar, as enfermeiras que cruzavam o meu caminho elogiavam a maquiagem dos meus olhos, os médicos usavam do bom humor para me distrair e me manter calma. Achei que essas distrações fossem de fato me tranquilizar, mas de repente caí no choro – naquela hora eu só queria a minha mãe, queria colo, queria que meu bebê chegasse logo mas ao mesmo tempo estava com medo de que algo desse errado na hora de recebê-lo, e foi nesse momento que mesmo sem a minha mãe ali, senti como se ela estivesse. A minha obstetra, Dra. Sônia, sentindo minha ansiedade veio me acalmar, deitou minha cabeça no ombro dela e começou a fazer massagens no meu ombro para que eu conseguisse relaxar um pouco, enquanto falava de como o meu pré-natal havia sido ótimo, de como todos os exames foram bem, de como tudo daria certo e em breve o meu bebê lindo e saudável estaria ali comigo. Relaxei, o peso nos meus ombros diminuiu. Dr. Renato, o anestesista, também conversava comigo, ora fazendo brincadeiras sobre o time de futebol do bebê, ora dizendo que se eu chorasse a maquiagem que tanto elogiaram iria borrar. A tão temida anestesia raquidiana foi aplicada que eu nem senti…

Durante a cirurgia propriamente dita eu e meu marido éramos informados o tempo todo do que estava acontecendo, e a menos que estivesse dopada demais para compreender a entonação das palavras, tudo era dito com muita atenção e carinho. Quando Luca nasceu, enquanto era levado para limpar, Dr. Renato Cabral entrando no momento de euforia ainda pegou o celular dele e me pediu o número de algum familiar para dar a notícia do nascimento do baby, quem recebeu a primeira ligação foi a minha mãe – a Oxente Vovó – que por motivos de força maior não pode estar em Recife no nascimento do neto.

Diante de tanto carinho e atenção, não me importo de não ter tido o “parto ideal”, acho que o ideal é o que atende às nossas necessidades. Só tenho a agradecer a toda a equipe que contribuiu para que o momento da chegada de Luca fosse o mais perfeito, em todos os sentidos.

Nota: como as pessoas ADORAM distorcer palavras, deixo claro aqui que eu NÃO estou dizendo que cesárea é melhor que parto normal; eu NÃO sou contra parto normal; eu NÃO estou incentivando ninguém a preferir cesárea em vez de PN. Sou contra radicalismos e totalmente a favor do respeito e direito de escolha.

 

Comente também pelo Facebook!

20 Comentários

  1. Marilia Alves
    23 de dezembro de 2013

    “De acordo com a CDG (Coisas da Gigi), depois de aberta uma cadeira de estudos em Harvard, Cambridge e Bridget Jones e através do Ministério das Mães que fizeram Cesárea, foi constatado que a mãe do Oxente Baby tá certa pra cacete” O mais importante é primar pela saúde do bebê e tranquilidade da mãe. E ponto e ponto com ponto br.

    Reply

  2. Elizabete Plácimo de Oliveira
    23 de dezembro de 2013

    “… acho que o ideal é o que atende às nossas necessidades. ” é isso mesmo
    essa guerra/richa pra ver qual é o melhor já me estressou e a frase que escreveu é a pura verdade.
    Que bom que foi tudo ótimo, e esse nervosismo antes de entrar na sala acho que todas sentem, me lembro muito bem.
    Ana Lú boas festas pra vc e sua família aproveitei muito Luca pois eles crescem tão rápido .
    bjus bete

    Reply

    • Ana Lu Fragoso | Oxente Menina
      23 de dezembro de 2013

      Bete, fiquei muito tensa na hora, mas graças a Deus alguns anjos na terra estavam ali comigo. Bjos, e um Natal maravilhoso pra vc e sua family. :***

      Reply

  3. Natalia
    23 de dezembro de 2013

    Ana Lu, estou na casa dos meus pais, sem muito tempo pra comentar!! Mas quero voltar aqui com mais calma pra contar como a minha cesárea tb foi pra lá de humanizada!!
    A pediatra que pegou o Dante no parto, desconhecida até o momento, é quem acompanha ele até hj!
    Feliz Natal pra vc e sua família! Que em 2014 vcs possam multiplicar a felicidade que já tem!
    Grande beijo!

    Reply

    • Ana Lu Fragoso | Oxente Menina
      23 de dezembro de 2013

      Nat, eu também continuei com a que acompanhou Luca no parto. Foi indicação da minha GO, e gostei muito dela.
      Feliz natal pra você, querida!!! Bjo grande

      Reply

  4. Boutique Glace
    23 de dezembro de 2013

    A hora mais temida da minha vida!!
    Graças a Deus que deu tudo certo.
    Agora eu quero conhecer Luca!
    Beeeeeijos

    Reply

    • Ana Lu Fragoso | Oxente Menina
      23 de dezembro de 2013

      A ansiedade bate, mas Deus protege, Nelzita. ;)
      Qdo voltarmos pra Recife vá sim conhecê-lo, voltamos início de janeiro.
      Bjoooo

      Reply

  5. Nique Burinetti
    24 de dezembro de 2013

    Que coisa mais lindaaa!!!
    Eu que estou aqui com 32 semanas e já com medo do meu parto, fiquei mais tranquila agora!!! Pela segunda vez vc me ajudando com seus posts!!!
    A primeira vez foi quando estava com o hematoma, que vc tb teve, lembra???
    Continue assim, sempre ajudando o próximo!!
    Muita saúde para o Luca!!!!
    Beijos,
    Nique!!! :-)

    Reply

    • Ana Lu Fragoso | Oxente Menina
      24 de dezembro de 2013

      Nique, tá pertinho, né? Nas últimas semanas o coração fica a mil.
      Acho que quando a gente compartilha a experiência acaba trazendo algum alívio para quem está passando pelo mesmo. O descolamento do saco gestacional foi um dos momentos de maior aflição da minha vida, e eu gostaria de ter lido algo reconfortante, mas não li e acabei sofrendo sem necessidade. Fico feliz de saber que aquele post deixou algumas mãezinhas mais tranquilas. :)
      Quanto ao parto, fique tranquila e peça proteção a Deus, e vai sair tudo perfeito.
      Beijão e feliz Natal pra vc!!!

      Reply

  6. Amanda
    25 de dezembro de 2013

    Oi Ana Lu!
    Estava com saudades dos seus posts! E o Luquinha?! Vai bem? Mande um beijão para ele! Sua obstetra percebeu alguma coisa errada no dia do parto, ou percebia que era melhor para vc e o bebê? Mas, estou feliz que ambos estiveram bem e seu esposo deu uma força daquelas! Um feliz natal para vc e sua família! Beijos!

    Reply

    • Ana Lu Fragoso | Oxente Menina
      27 de dezembro de 2013

      Mandy, agora estou conseguindo voltar. Aos poucos, mas to! :)
      Não teve nada errado no dia do parto, eu que fiquei muito nervosa mesmo, porque morro de medo de cirurgia. Eu e Luca estávamos ótimos, e ela tentou me tranquilizar para que meu nervosismo não acabasse me prejudicando de alguma forma.
      Beijão e feliz ano novo!!!

      Reply

  7. ana seidel
    27 de dezembro de 2013

    Lindona, também acredito em cesárea humanizada. Só posso fazer cesárea – por motivos de saúde – e as minhas foram lindas, todas. Semana que vem, parto pra minha terceira e última…Davizão chegando. Fiquei emocionada com teu relato e desejo toda a felicidade do mundo pra ti e pra Luquinha. Beijos gigas proceis!

    Ana Seidel

    Reply

    • Ana Lu Fragoso | Oxente Menina
      27 de dezembro de 2013

      Ana, que Davi chegue trazendo ainda mais alegria para essa família. Boa hora, fiquem com Deus, e poste logo fotos desse príncipe no face pras tias postiças conhecerem. Bjo grande!!!

      Reply

  8. Verônica
    29 de dezembro de 2013

    Que momento mágico, né? Tudo de bom para a família Oxente e, principalmente, para o herdeiro, né? kkkk

    bjssssss

    Reply

  9. Lany
    06 de janeiro de 2014

    Nossa, vc disse tudo! Adorei o seu post e me identifiquei muitoooo “Parto ideal é aquele que atende as nossas necessidades”, assim como do nosso Bebê. To 18 semanas e por “enes” motivos não quero um parto normal, mas assim, como vc, um parto cesária humanizado.Chegar na maternidade toda bonita e feliz.
    Tenho tantos receios e ainda assim, ansiosa, contando os dias para meu Matheus transformar minha vida e do meu marido. Essa definitivamente é a melhor espera do mundo!

    Reply

    • Ana Lu Fragoso | Oxente Menina
      16 de janeiro de 2014

      E quando Matheus chegar sua vida vai virar de cabeça pra baixo e será a reviravolta mais gostosa do mundo! :) Bjoss

      Reply

  10. Carol
    24 de janeiro de 2014

    Ana Lu, que lindo seu post, seria bom se mais pessoas pensassem assim, meu primeiro parto (de gêmeas e pré-eclampsia) teve que ser cesária, o que me deixou um pouco frustrada. Mas foi também super lindo e humanizado, vou para a segunda cesária super tranquila e de mente aberta.

    Reply

    • Ana Lu Fragoso | Oxente Menina
      26 de janeiro de 2014

      Ai que lindo, gêmeas!!! Quem sou eu pra dizer se você deve ou não ficar frustrada, mas acho a chegada de um bebê um momento tão sublime que sinceramente a via é o menos importante (contanto que mamãe e bebê estejam bem, claro!). Fico até pensando se sou anormal por não sentir a frustração de não ter tido um parto normal, mas cada vez que olho pra Luca penso que o que interessa é que ele está aqui e isso me basta. Fico feliz que você esteja de mente aberta para receber o próximo bebê de uma cesárea, mamãe tranquila, bebê feliz. :) Bjossss

      Reply

Deixe um comentário!

Close