Ergobaby: um caso de amor

ergobaby-oxente-menina-01

O que eu, Gisele Bündchen, Natalie Portman e Julia Roberts temos em comum, além da conta bancária recheada e uma beleza estonteante {cof, cof, cof}? Somos mães, somos apaixonadas pelos nossos filhos e somos fãs do Ergobaby.

Antes mesmo de Luca nascer, quando eu ainda estava fazendo a lista do enxoval, pulei o item canguru/sling. Não achei que ia precisar, até porque trabalho no sistema home office e ia estar em casa o tempo todo com ele. Já nos primeiros meses me rendi ao sling, que só não uso até hoje porque acho chatinho de amarrar. Nas minhas pesquisas de viagens com bebês, descobri o Ergobaby através de um grupo no Facebook, alguém elogiava o Ergobaby e dizia o quanto era cômodo passear com o baby no canguru, pois o Ergo distribuía bem o peso do bebê. Bingo! Precisava de mais informações sobre aquele produto mágico que tinha todas as características que eu buscava.

Pesquisei, pesquisei, e pesquisei um pouco mais. Diferente dos outros cangurus disponíveis no mercado, o Ergobaby é o único que é realmente ergonômico, e a forma mais fácil de identificar problemas em ergonomia é através do posicionamento dos quadris: o bebê tem que ficar sentado, não pode ficar com as perninhas penduradas {como a maioria dos outros cangurus que pesquisei deixam}, pois isso pode acarretar em problemas no quadril. O canguru Ergobaby deixa o baby em posição de “sapinho”, com as pernas dobradas e abertas. Além dessa posição ser mais cômoda para o bebê, a coluna dele fica na posição correta, e a do papai ou da mamãe também, já que o peso é distribuído proporcionalmente e as costas não ficam sobrecarregadas e curvadas.

ergobaby-oxente-menina-02

A nossa cultura para cangurus chega a ser engraçada. Já fui ao shopping várias vezes com Luca no Ergobaby, batemos perna no pólo da moda de Caruaru, sempre passeio por lugares ao ar livre com ele, e as pessoas ainda olham de forma espantada. Algumas dão aquele risinho de “olha só que legal isso!”, e outras olham meio torto. Na boa? Eu adoro andar com Luca assim coladinho em mim, e ele está se habituando tão bem que semana passada pegou no sono enquanto eu e a vovó dele passeávamos pelo Shopping RioMar. Aproveitei e cobri a cabecinha dele com a capinha do próprio canguru {como na foto de Natalie Portman e Julia Roberts abaixo}. A nossa cultura aqui pode não ser a maior incentivadora do canguru, mas lá fora não só é comum, como as mamães {inclusive as celebridades} fazem questão de andar com as crias juntinhas ao corpo.

celebridades-ergobaby

Dá para usar o Ergobaby em três posições diferentes: na frente, na lateral e nas costas, e o limite é de 18kg. O que mais tenho usado é na frente mesmo, barriga colada com barriga, mas nessa posição não é recomendado quando o bebê ultrapassa os 12kg, por isso ando aproveitando bastante com Luca. Depois dos 12kg a empresa aconselha que só use com o bebê nas costas.

Outro ponto importante do produto é que é super fácil de vestir. Costumo prender primeiro a fivela de baixo, então coloco Luca e visto as alças como se estivesse colocando uma mochila. Geralmente peço pra alguém prender a fivela atrás, que para soltar acho mais fácil do que prender. Falando nas fivelas, elas são super resistentes, assim como todo o canguru, que nota-se claramente que a costura é bem firme.

Falando nisso, cuidado ao ver ofertas de réplicas do Ergobaby {no Mercado Livre vi vários anúncios de réplicas sendo vendidos como originais}. O preço pode ser mais em conta, mas não há quaisquer garantias de qualidade e, principalmente, de segurança. Sei que o Ergobaby original não é baratinho, o Dewdrop, que é o modelo que eu e Luca usamos, custa R$ 429,00 aqui no Brasil. De graça? Não. Compensa? Cada centavo. O único arrependimento que tenho é de só ter começado a usar com Luca com quase 10 meses, hoje penso que deveria ter comprado na primeira recomendação que li, quando o pequeno tinha uns 4 pra 5 meses. Antes tarde do que nunca, agora eu e Luquito não largamos mais o nosso Dewdrop.

ergobaby-dewdrop

Facebook Comments
15 comments Add yours
  1. Que maravilha, Lu! Fiquei com vontade de comprar um ergobaby agora mesmo.
    Realmente não é barato, mas queremos oferecer o melhor pros nossos filhos e pra segurança deles, vejo como um investimento, não como despesa.

  2. Ana,

    Também tenho um ergobaby, durante os primeiros 4 meses dele usamos um canguru da Chicco, que ele amou amou amou :) e nós também!!! Depois ele começou a ficar apertado e então pesquisamos bastante e chegamos a conclusão que o Ergobaby era a melhor opção, enfim temos usado menos de que eu esperava, mas estou bem satisfeita com ele. Beijos em vc e no babyoxente!

      1. Oi Analu, então acho que temos ficado muito tempo em casa… E sei lá, acho que tava muito acostumada com o antigo :P Mas quer saber??? vou voltar a canguruzar por aí! Bjocas

  3. Adorei sua dica, foi o melhor comentário sobre o ergobaby que li, me ajudou a decidir. Meu bebê está com 45 dias e já vou comprar o ergobaby dele. Bjjs

    1. O meu é o original. O do ML eu desconfio logo por conta do valor, q é muito mais barato que o original. Uma vez perguntei ao vendedor do ML se era original e ele disse q “o fornecedor garante que é”. Fiquei com a pulga atrás da orelha. Eu não arriscaria não, se é pra comprar um fake, acho mais vantagem comprar um mais em conta de outra marca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.