MIMO Festival invade Olinda e Rio | Blog Oxente Menina

MIMO Festival invade Olinda e Rio

Um dos eventos mais esperados do ano, com a participação de nomes de vanguarda musical de cinco continentes, e consolidado como o maior festival de música gratuito da América Latina, o MIMO chega em novembro ao Rio de Janeiro (10 a 12 de novembro) e a Olinda (17 a 19 de novembro), cidade onde nasceu.

Prestes a completar 15 anos, em 2018, e marcado por passagens internacionais por Amarante (Portugal) e Glasgow (Escócia), a edição 2017 leva às duas cidades uma programação abrangente, com concertos inéditos de artistas de diversas nacionalidades.

Neste ano, depois de passar pelas históricas Tiradentes e Ouro Preto, em Minas Gerais, e pela charmosa Paraty, o festival segue pelo terceiro ano consecutivo para a Cidade Maravilhosa, tendo o palco principal na Marina da Glória e ocupando patrimônios como as igrejas da Candelária, Outeiro da Glória e Museu da República. Em Olinda, cidade-mãe do festival, o MIMO se mantém em igrejas e espaços históricos da cidade, com programação gratuita de concertos, cinema, etapa educativa, fórum de ideia e Chuva de Poesia.

Olinda e Rio de Janeiro receberão, com exclusividade no Brasil, alguns artistas em comum, como Konono Nº 1, grupo que vem diretamente do Congo e o cineasta e músico Emir Kusturica & The No Smocking Orchestra, da Sérvia. No lineup estão também a jovem francesa Laura Perrudin, que com uma harpa cromática eletrificada mistura jazz, hip hop, soul e música eletrônica; o violinista e fantástico improvisador francês Didier Lockwood, com seus mais de 40 anos de carreira, 4 mil apresentações e turnês pelo mundo; o excepcional trio africano 3MA, formado pelo renascentista Rajery com sua valiha, o mágico da kora BallakéSissoko e o incrível oudista Driss El Maloumi; o instrumentista, compositor e cantor de Mali Vieux Farka Touré, que foi considerado pelo jornal inglês “The Guardian” “o novo herói da guitarra africana”; o coletivo Ondatrópica, da Colômbia, que, com um pé na tradição e outro na modernidade, vai da cúmbia ao hip hop, passando pelo funk, dub, jazz e ska; e o roqueiro português Manel Cruz, que ganhou notoriedade, na década de 1990, como integrante da cultuada banda Ornatos Violeta e faz a sua estreia no Brasil.

Chuva de Poesia

Poesias impressas em papéis coloridos são atiradas do alto das torres de igrejas a cada edição, permitindo ao público conhecer trechos de obras de importantes escritores brasileiros. A curadoria vincula os poetas escolhidos aos temas oferecidos no Fórum de Ideias, consolidando uma ligação conceitual que permeia todas as atividades do MIMO.

Todos os concertos, atividades educativas e exibição de filmes são oferecidos gratuitamente ao público. Para algumas atividades da programação, realizadas em locais fechados e com limite de público, os ingressos são disponibilizados antecipadamente. Mais informações no site oficial do MIMO Festival.

Crédito das imagens: Flickr oficial do MIMO Festival

Comente também pelo Facebook!

2 Comentários

  1. Lívia Alli de Alcântara Madeira
    01 de novembro de 2017

    que evento mais incrivel! estive em olinda ha anos atrás e super tenho vontade de voltar a cidade

    http://www.tofucolorido.com.br
    http://www.facebook.com/blogtofucolorido

    Reply

Deixe um comentário!

Close