Oxente Menina - Página 5

Vilãs da Disney inspiram coleção de acessórios

Elas são malvadas, egocêntricas, fazem as mocinhas dos contos passarem por um perrengue danado! Mas uma coisa é certa: essas vilãs são cheias de requinte. Inspirada nesse estilo de mistério de autenticidade, a Schutz está lançando, em parceria com nada mais nada menos do que a Disney, a coleção Schutz Disney Villains.

São 54 produtos, entre bolsas, sapatos e acessórios, evidenciando três personagens marcantes dos desenhos animados: Malévola, de A Bela Adormecida; Lady Tremaine, a madrasta da Cinderela; e Cruella de Vil, de 101 Dálmatas. Coincidência ou não, os três contos já viraram filmes, cada um exibindo um figurino invejável dos personagens. Além, claro, da maquiagem caricata que também continuam a servir de inspiração para os artistas dos pincéis e fantasias de carnaval.

A chegada da coleção Schutz Disney Villains está prevista para chegar às lojas em abril.

E já que falamos em filmes, está previsto para 2018 o lançamento do filme Cruella, trazendo Emma Stone no papel principal. Segundo informações do CinePop, o filme vai contar sobre a origem da personagem, nos mesmos moldes de Malévola.

Conhecendo a Lagoa do Carcará

– Você é de Natal, né?
– Sou sim.
– Nossa, São Miguel do Gostoso é muito lindo!
– Hummm, não conheço.
– E as piscinas naturais de Maracajaú, já foi lá?
– Errrr… não.
– Conhece pelo menos as lagoas do Rio Grande do Norte?
– Bem…

A long long time ago eu fui à Lagoa de Arituba, à Lagoa de Pitangui e à Lagoa de Jacumã. Tipo, há muito tempo mesmo. Mesmo! A mais recente, a de Arituba, acho que fui uns 9 ou 10 anos atrás, e quebrei a cabeça fazendo essa estimativa com base na lembrança de que eu e meu marido ainda éramos namorados quando fizemos essa visita.

Depois de um longo e tenebroso inverno com muito sol e calor, distante das lagoas e indo a Natal em viagens corridas de dois ou três dias a cada seis meses, finalmente coloquei os pés em outra lagoa: a do Carcará. Esse lugar lindo fica no município de Nísia Floresta, a cerca de 40 km de Natal.

A escolha foi meio que um “uni-duni-tê, escolhi você”. Eu estava super a fim de levar Luca para conhecer alguma lagoa e, olhando as fotos na internê, achei o lugar bonito. Além do mais, segundo diziam os blogs e sites de turismo, contava com a estrutura de bares. Ok, let’s go!

O acesso não é muito simples. Até Tabatinga é tranquilo, a estrada é toda asfaltada – e a vista na saída de Búzios deslumbrante – mas depois da primeira rotatória (a de Tabatinga) quase não há sinalização. Nessa rotatória tem várias pessoas oferecendo passeios de barco, de buggy e serviços de guia turístico. Como estávamos em dois carros e todo mundo sem saber que rumo tomar, contratamos uma pessoa só para nos guiar até lá. Depois da segunda rotatória (a que pega para Camurupim) existe uma estrada de barro do lado direito que já leva até a lagoa, mas essa estrada não comporta carros de passeio, apenas buggy e carros com tração nas rodas. Não era o nosso caso, então seguimos mais um pouco e entramos na segunda estrada de barro após a rotatória de Camurupim.

Essa estrada passa por uma vila de pescadores e não é uma reta, você tem que dobrar várias vezes à direita, depois esquerda, depois direita de novo… Quase um ziguezague! Mas enfim chegamos, e a beleza do lugar fez todo o trajeto complicadinho valer à pena. E como valeu!

O guia nos indicou o restaurante Paraíso Tropical, com cadeiras de madeira, almofadas, espreguiçadeiras, cerveja gelada e um pastel de camarão delicioso. Um minuto de silêncio para o momento solene em que algumas pessoas passam pelas mesas vendendo cocada: compre! Elas são deliciosas e eu me arrependi por não ter comprado outra para levar e comer mais tarde em casa.

No bar/restaurante só pedimos petiscos, mas para pedir almoço os próprios garçons indicam pedir com bastante antecedência. Segundo o rapaz que nos atendeu, os produtos são frescos e é tudo feito na hora, por isso se deixar para pedir perto da hora do almoço, você corre o risco de ficar com fome.

No dia que fomos para a Lagoa do Carcará estava um pouco nublado, mas não choveu e a água continuava quentinha, apesar do vento. A lagoa, aliás, é bem rasa e super tranquila para as crianças, embora em nenhum momento Luca tenha ficado sem a companhia de um adulto. Não sei se o volume de água oscila nos períodos de chuva e aumenta nessas épocas, mas no final de dezembro quando fomos estava rasinho e tranquilo.

Além dos bares, o entorno da lagoa também conta com estrutura de lazer, com pedalinho, caiaque, stand up paddle e passeios a cavalo. Não tenho certeza se os valores são padronizados, mas nós pagamos R$ 15,00 por meia hora de pedalinho e o mesmo valor pela locação do caiaque que um dos meus sobrinhos andou.

Mais uma dica é que, na ida ou na volta, reserve um tempinho para parar no Mirante dos Golfinhos, na entrada de Tabatinga. É bem possível que você não veja nenhum golfinho (vai que você dá sorte!), mas com ou sem golfinhos, a vista é de tirar o fôlego.

Batons líquidos nude metálicos Quem Disse, Berenice?

nude-metalico-quem-disse-berenice-oxente-menina-01

Prepara o bolso, que a quem disse, berenice? está aumentando a família dos batons líquidos (aqueles que a gente adora!). Dessa vez a marca uniu o efeito metálico com a textura matte, que intensifica a cor deixando os lábios sequinhos

A Berê traz a novidade para a cartela da marca em quatro tons de nude: marronluz, cobreluz, nudeluz e coraluz – um nude para cada tom de pele!

nude-metalico-quem-disse-berenice-oxente-menina-02

nude-metalico-quem-disse-berenice-oxente-menina-03

Ainda não usei nenhum dos batons líquidos metálicos da marca, mas eles me fizeram lembrar do Volúpia, da Mais Vaidosa, que mostrei aqui ano passado. Se eu conheço bem a QDB (considerando que no meu top 5 de batons, três são da marca), as cores vão fazer bonito tanto na pigmentação quanto na duração. 

Os nude metálicos chegam às lojas a partir do dia 9 de janeiro, R$ 35,90 cada.

Close