Oxente Menina - Página 7

Fim das férias. Oremos!

espaco-ciencia-recife

Férias, aquele período tão aguardado depois de meses de trabalho, de estudo – às vezes dos dois. Aquele espaço de tempo em que você finalmente pode colocar a leitura em dia, pode ver as séries que não conseguiu acompanhar porque o horário louco de trabalho não permitia, ou pode fazer aquela viagem tão sonhada planejada em meio à correria do dia a dia. Outra realidade: fim de férias. Aquele ponto final tão aguardado pelas mães que ralaram durante o ano inteiro e ainda trabalharam em dobro durante o recesso das crianças. Sim, eu estou aliviada que as férias acabaram!

Pela primeira vez caí na real de que não são só as outras mães que são super-heroínas. Eu também sou. A verdade é que eu, inconscientemente, me sabotava querendo achar que minha vida era muito fácil por poder trabalhar de casa. Ter a flexibilidade de horários me fazia conseguir dar conta da casa e brincar com meu filho de manhã, produzir à tarde, e à noite conseguir aquele jogo de cintura de casa e filho, e enfim poder voltar a trabalhar quando ele dormia {é, o terceiro turno sempre foi uma realidade aqui}. Não era tão fácil quanto escrever a situação em duas ou três linhas, mas como eu conseguia dar conta {na maioria das vezes, pelo menos}, eu achava que o que eu fazia era pouco, e aceitava as comparações e o julgamento das pessoas que trabalham fora e se acham melhores do que a mãe que fica em casa (“Que sortuda você! Queria ter uma vida fácil assim também”). Aceitava o julgamento até daquelas pessoas cujo único trabalho é dar conta da vida alheia, porque no fim das contas era eu mesma que me depreciava achando que o que eu fazia era pouco.

espaco-ciencia-recife2

Nas férias de Luca precisei fazer tudo o que eu fazia antes, dessa vez sem aquelas horinhas livres da tarde que eu aproveitava para fazer meu trabalho {inclusive o blog, que acabou sendo negligenciado por algumas semanas}. Eu simplesmente não consegui dar conta. Eu cheguei a pensar que admitir isso seria uma fraqueza, que me deixaria para baixo, que, de alguma forma, a ideia dos julgamentos fizesse eu me sentir… sei lá, inferior. Não me senti. Na verdade escrever que não consigo dar conta de tudo é libertador!

É libertador poder dizer para outras mães super-heroínas que tudo bem se a gente não fizer tudo. Que tudo bem se a gente não conseguir fazer nosso filho entrar no banheiro pra tomar banho antes das 10:00, tudo bem se não conseguir varrer a casa porque precisou fazer um trabalho que apareceu, tudo bem sair com seu filho para brincar enquanto a casa está de cabeça para baixo. Porque, afinal de contas, antes da gente se preocupar com o que os outros vão pensar, a gente precisa parar de se pressionar tanto, parar de achar que essas falhas nos diminuem como mãe, como profissional, como ser-humano, e não deixar de se divertir porque os outros podem achar que a nossa vida é fácil demais. Meu filho estava de férias e nós fizemos um montão de coisas juntos – e eu não me sinto nem um pouco culpada por isso.

Tão libertador quanto esse sentimento de admitir não conseguir conta de tudo, é saber que as férias enfim acabaram. Agora posso retomar o meu ritmo de trabalho, posso continuar sendo mãe em tempo quase integral, posso tomar um banho e lavar o cabelo com calma, posso até me deitar no meio da tarde para esticar a coluna {Deus, como preciso!}. Agora vou colocar a roupa da Mulher-Maravilha para lavar e daqui a pouco vesti-la novamente. Porque a vida continua, com seus perrengues e prazeres de sempre. Mas – gratidão, universo! – é o fim das férias. Oremos.

P.S. As fotos desse post foram feitas no Espaço Ciência, em Olinda. O local tem entrada gratuita e está aberto diariamente das 08:00 às 17:00, com intervalo no almoço. Pensei em fazer um post sobre o espaço, mas durante a nossa visita não consegui fotografar e correr atrás de uma criança de dois anos…

leia-tambem

RINGUE-DE-MAES  MAES-IMPERFEITAS  MEU-FILHO-MELHOR-QUE-O-SEU  FILHOS-DE-FERIAS-E-AGORA

Lace up shoes da Schutz

sapato-de-amarrar-schutz

Prepare-se para se amarrar. Literalmente! Os lace up shoes são sapatos com amarração que começaram a se popularizar com alguns modelos de sandálias gladiadoras que traziam as cordinhas para que ficassem bem ajustadas nas pernas. Sorte a nossa que outros modelos além das gladiadoras também se renderam às cordas: scarpins, rasteirinhas, sapatilhas e saltos altíssimos também podem ser encontrados com esse detalhe que deixa os pés mais charmosos. A Schutz é uma das marcas que trazem alguns dos modelos lace up mais lindos!

laceup-shoes-schutz

Sem se prender às regras do “pode / não pode”, os modelos variados dos lace up da Schutz permitem combinações com qualquer tipo de roupa, sempre deixando a composição em harmonia e, acima de tudo, respeitando o seu próprio estilo. Se a escolha for pelo jeans, os modelos cropped são as melhores alternativas, assim não escondem o detalhe da amarração. Calças mais compridas e saias longas não são proibidas, mas não irão valorizar os detalhes – e é quase que um pecado deixar essa particularidade tão linda escondida, né?

Como grande fã dos jeans, atualmente ando curtindo bastante minha calça boyfriend destroyed, e para manter meu estilo básico e ainda assim conseguir correr atrás de Luca {essas férias escolares que não tem fim!} eu escolheria essa sapatilha de amarração da Schutz para usar como a Jaime King na foto acima. E vocês?

Politica-de-conteudo-publieditorial

leia-tambem

ESTILOS-SCHUTZ-NA-ACQUARELA-SHOP  SCHUTZ-EM-LOS-ANGELES  GLADIADORAS-ELAS-ESTAO-DE-VOLTA  O-QUE-RAIOS-VOCE-QUER-DA-MODA

Gamebox: o novo espaço do Game Station

gamebox-gamestation-01

Uma nova alternativa de diversão para os pequenos começou a funcionar no início de junho no Shopping RioMar: o Gamebox, parte do Game Station, promete não deixar as crianças paradas.

O espaço que está localizado no piso L3 do RioMar foi designado especialmente para as crianças menores, de até 8 anos. A estrutura traz o piso fofinho em EVA e brinquedos acolchoados, garantindo uma maior segurança na hora de brincar e estimulando a interatividade.

gamebox-gamestation-02

gamebox-gamestation-03

Os brinquedos Spinning Circus, Areia Mágica, Jumping Balls, e Balloon Zone, para citar alguns, estão distribuídos por um espaço de 200 m², que conta ainda com uma área com mesas e cadeiras reservada para eventos e aniversários, e com várias cadeiras espalhadas para o conforto dos acompanhantes.

A grande novidade e o diferencial do Gamebox fica por conta da inovação tecnológica através da pulseirinha que permite que os pais monitores seus filhos em tempo real através de um aplicativo no smartphone. Uma pulseira com chip de identificação é entregue a cada criança na entrada, a partir daí todas as informações ficam gravadas e podem ser acompanhadas pelo responsável. O espaço conta ainda com Day Care para crianças maiores de 5 anos. 

gamebox-gamestation-05

gamebox-gamestation-04

gamebox-gamestation-06

gamebox-gamestation-07

A permanência durante meia hora, em dias de semana, custa R$ 20,00 e R$ 34,00 para a hora inteira. O espaço conta com valores especiais para grupos acima de 10 crianças. Além disso, o Gamebox está aberto também para festas de aniversário compactas. Maiores informações pelo telefone (81) 3201-0345.

 

leia-tambem

FILHOS-DE-FERIAS-E-AGORA  TEMPORADA-DE-FERIAS-NO-RIOMAR  ESPACO-INFANTIL-NO-AEROPORTO-DO-RECIFE  ESPACO-FAMILIA-RIOMAR

Close