Crianças | Blog Oxente Menina

[DYI] Diário de bordo para crianças

Dizem que uma viagem se divide em três etapas: planejar, vivenciar e relembrar. Eu não poderia concordar mais! Sou daquelas pessoas que já começa a viajar fazendo o planejamento, mesmo que seja para uma trip de dois dias de Recife para Gravatá (Alô, universo, está na hora de mandar uma viagem internacional pra família aqui!). A parte de relembrar eu confesso que não curto tanto, porque bate aquela saudade e eu fico morrendo de vontade de voltar, de reviver tudo de novo.

Luca ainda é muito pequenininho para entender a organização de uma viagem, mas meu marido não é tão empolgado como eu para essas coisas, geralmente só se anima mais no destino mesmo, e eu queria encontrar um jeito de envolver o pequeno junto comigo no período pré-viagem. A solução encontrada foi criar um diário de bordo para ele.

Sei que existe esse tipo de material pronto à venda em papelarias, mas como grande adepta do faça-você-mesmo, achei melhor criar um que ficasse do meu jeito. Optei por criar uma imagem no Photoshop com um mapa-múndi bem colorido e algumas fotos de Luca com a família em viagens anteriores, e mandei imprimir em papel adesivo vinil. Para que não é muito familiarizado com editores de imagens, uma alternativa é cobrir com papel contato na cor desejada para o fundo (só para não ficar aparecendo a capa original do caderno, caso ela não seja lisa), colar imagens de lugares ou fotos da família e cobrir com papel contato transparente.

Esse caderninho que eu comprei é de capa dura e possui as folhas em branco – ponto super importante, porque eu não queria o papel pautado para não comprometer o visual interno. Ele mede cerca de 140 x 200 mm e custou menos de R$ 5 na Kalunga.

A minha ideia agora é imprimir imagens do destino, a tag personalizada que eu sempre faço quando viajamos de avião (tipo essa aqui), e colar nas páginas antes e durante a viagem, sempre anotando as impressões dele sobre o lugar. As brochuras dos hotéis e ingressos das atrações também são detalhes interessantes para colar, bem no estilo das agendas que a gente fazia quando era adolescente.

Estou bem animada para começar, espero que Luca ache tão empolgante quanto eu! Na pior das hipóteses, vai servir como caderno para ele desenhar e se distrair no trajeto.

Cidade Colorir no RioMar

Tintas e pincéis vão divertir a meninada no RioMar. O Cidade Colorir – uma cidade cenográfica com cerca de 500m² e módulos de 1,5m de altura – acaba de chegar ao shopping, onde crianças de até 12 anos poderão colorir o cenário utilizando pincéis, tintas e aventais, explorando a criatividade, pintando, inclusive, cenários da cidade do Recife.

A proposta do Cidade Colorir é de quebrar a rotina do livro convencional de colorir e materializar, em um espaço real, uma cidade para que os pequenos possam soltar a imaginação através das cores. A atividade também será uma oportunidade para os pais observarem as pinturas dos seus filhos, que irão demonstrar traços da personalidade e criatividade de cada um. Além do cenário de uma grande cidade, estarão estampados no evento os grandes casarões da Rua da Aurora, um dos principais cartões-postais do Recife, em homenagem ao aniversário da cidade comemorado neste mês de março.

O evento conta com um time de arte-educadores e instrutores para guiar as crianças pela estrutura. Após o acesso ao evento, cada participante recebe um kit que inclui avental e seis copinhos biodegradáveis recarregáveis preenchidos com seis cores-base de tinta guache atóxica. As crianças ainda podem aprender sobre os resultados da mistura de cores e uso das esponjas e rolinhos espalhados pelo local. O Cidade Colorir também vai usar o mínimo de água possível, higienizando mãos e pincéis com o uso de álcool em gel e toalhas umedecidas.

Para ter acesso ao Cidade Colorir é necessário adquirir o ingresso para crianças a partir dos 2 anos por R$20 para brincar por 30 minutos (ingresso individual por criança). Os pais ou responsáveis acompanhantes de crianças a partir dos 2 anos também deverão adquirir ingresso, porém, no valor de R$10 por 30 minutos. Crianças entre 0 e 1 ano e 11 meses não pagam para entrar – porém o acompanhante destas crianças nesta faixa etária pagam o ingresso no valor de R$20 por 30 minutos. O ingresso dá direito ao kit de tintas, pincel e avental.

 

Fantasia de Jake e os Piratas da Terra do Nunca

O pernambucano adora carnaval, e por aqui a folia começa muito antes dos dias oficiais. O que eu amo nas prévias é que elas são muito mais tranquilas e em qualquer esquina tem uma bandinha de frevo tocando com um monte de gente animada pulando ao redor.

Nos últimos três anos, as prévias infantis são obrigatórias na nossa programação. Às vezes nem são festas voltadas para as crianças, mas o ambiente é tão familiar e pacato, que a gente leva Luca sem medo. Mas com tanta festa, haja fantasia!

Felizmente, a avó paterna de Luca adora uma farra e é a primeira a comprar as fantasias dele. Esse ano ele ganhou dela a fantasia do Chaves e uma de palhaço. Antes de saber que ele ganharia essas duas, eu já havia separado uma de Vikings que ele usou ano passado e encomendei um colete para fazer a fantasia do Jake, o pirata que dá título ao desenho Jake e os Piratas da Terra do Nunca.

O desenho faz parte do Disney Junior, que tem uma programação mais voltada para crianças menores, na faixa de dois a sete anos. Luca adora o canal, e analisando os personagens com as fantasias mais fáceis de fazer, encontrei no Jake o meu modelo para o carnaval.

O bom da fantasia de pirata é que não tem muito o que fazer, e a do Jake eu achei que foi ainda mais fácil por ele usar cores básicas e sem muitos apetrechos. Para a fantasia de Luca, tudo o que eu tive que fazer foi encomendar o colete, que preferi usar dourado nas bordas, em vez do tradicional amarelo – saiu por R$ 40,00 na Abacaxi com Amora.

A espada é de plástico e custou R$ 14,90 nas Lojas Americanas. A camiseta branca com gola em V da Kyly ele já tinha e a bermuda faz parte de um conjuntinho da Rovitex que também já estava no guarda-roupa. A faixa vermelha da cabeça foi o lenço da festa de São João do ano passado, então, basicamente, a nossa despesa foi com o colete e a espada.

Na fantasia original do Jake, a calça é de uma tonalidade diferente do azul do colete, por isso não me preocupei em usar uma bermuda um pouco mais escura e nem em optar por bermuda em vez da calça. Aliás, o segredo para fazer uma fantasia usável é adaptar as peças que já temos em casa. Eu poderia ter colocado uma calça jeans para deixá-lo mais parecido com o personagem, mas seria uma judiação com o meu filho fazê-lo usar uma calça numa festa de rua às 10:00 da manhã. Só de pensar já começo a suar!

Você definitivamente não precisa comprar uma fantasia super cara (ou várias!) para deixar uma criança feliz. Uma roupa inspirada no personagem favorito e um saco de confete já são suficientes para os pequenos fazerem a festa.

Close