Dica da Leitora | Blog Oxente Menina

Passaporte: Strasbourg, por Karla Vidal

Esquecida ela não estava, mas a tag Passaporte andava adormecida. Culpa de vocês! Para mim, as tags de viagens {Passaporte e Roubadas de Viagem} são algumas das minhas favoritas aqui do blog, mas dependo exclusivamente dos viajantes não-preguiçosos para levá-las ao ar {porque né, muita gente viaja e tem preguiça de escrever. E sim, isso é um puxão de orelha!}.

Assim que soube pelo Facebook que Karla Vidal – ou Kakau – estava de malas prontas para a França, vesti minha máscara de cara-de-pau e encomendei um post. E ela fez a lição de casa tão bem que me deixou com vontade de ir tipo, agora, para Strasbourg.

{Se você quiser participar da tag Passaporte, entre em contato comigo clicando aqui!}

Férias sem nenhum roteiro definido. Essa foi a situação de minha viagem à França em março deste ano. Fiquei hospedada na casa de familiares em Nancy e uma das sugestões era agendar um dia para conhecer a cidade de Strasbourg. O pouco que sabia sobre a cidade era que, por ser próxima à Alemanha, sua arquitetura era totalmente influenciada pelo padrão das edificações alemãs.

De Nancy para Strasbourg são quase duas horas de viagem. A estrada é linda e em perfeitas condições. A minha “pós-graduação” sobre a cidade começou ainda na estrada. Strasbourg está situada numa região conhecida como Alsace (Alsácia), que é uma área de grande importância histórica conhecida pelos conflitos entre os povos e países que desejavam dominar a região. Hoje a área é administrada pela França e integra o território do país, mas todo o clima é alemão. Você percebe que está entrando em uma nova região na estrada mesmo. A topografia muda, as árvores mudam… Você sente aquela sensação de que tem algo diferente, mesmo estando na França.

Dentro da cidade há muitas placas de sinalização escritas em francês e alemão, além das indicações em inglês para os turistas.  A arquitetura é quase que totalmente alemã, com exceção da região chamada de Petite France (pequena França) onde é possível ver algumas construções com estética mais francesa. Uma coisa que vale a pena destacar é que o governo de Strasbourg faz de tudo para preservar a cidade. Nas principais áreas da cidade não circulam carros. Quem chega de carro, como nós fizemos, deve utilizar um dos grandes estacionamentos que ficam no limite da cidade e seguir até o centro de ônibus ou de trem, que são ótimos, por sinal. Assim, é possível manter a cidade intacta.

A cidade é pequena e lindíssima. Ruas estreitas e cheias de lojas com letreiros encantadores conduzem você a grandes praças ou áreas de convivência com cafés e restaurantes muito charmosos. Não é toa que carrega o título de capital da Alsácia e foi escolhida como sede do Conselho da Europa. Strasbourg é agradável, tem uma atmosfera aconchegante, as pessoas são prestativas e simpáticas, muito mais do que em Paris.

GASTRONOMIA

Aviso logo: se você não é fã da culinária alemã, certamente vai ter um pouco de dificuldade na hora do almoço. A maioria dos restaurantes por onde passei era especializada em pratos alemães. Os que não eram, serviam crepes. Agora, se você é fã de uma boa cerveja e não tem problemas com carne de porco, Strasbourg será um paraíso para você. Claro que vai haver restaurantes de queijos e do famoso foies gras, mas o que domina no centro turístico é mesmo o Choucroute e Baeckeoffe. Escolhi esse último, um mix de carnes e legumes cozidos, para o almoço em um pequeno e charmoso restaurante próximo da Cathédrale Notre Dame de Strasbourg, chamado La Table d’Emilie.

Se quiser um bom café, a minha indicação é a rede Paul. Tem em toda a França. Usamos os serviços em todas as cidades por onde passamos e posso dizer que o atendimento é perfeito. Excelentes cafés e salgados. Entreguei todo meu amor aos croissants e ao pain au chocolat. No leste da França você pode e deve comer sem maiores preocupações, pois o clima frio e as longas caminhadas fazem você queimar praticamente todas as calorias que consome.

A CATEDRAL

Um parágrafo à parte para a Cathédrale Notre Dame de Strasbourg. Tentei fotográfa-la por inteiro, mas ela não cabe na cena. A Catedral de Strasbourg foi a edificação mais alta do mundo até 1874. Hoje é a segunda mais alta catedral da França. É muito grande, é gótica e é escura. É um lugar interessante de conhecer, mas é tenebroso. Parece que o peso de tudo que aconteceu por lá cai automaticamente sobre os seus ombros quando você entra na igreja. E, como relata a história, situações, não muito felizes, aconteciam nessas igrejas e em sua área externa, entre elas tribunais que resultavam na morte dos condenados. É uma experiência diferente, porém interessante.

PARA TURISTAR

Bateau-mouches: O que mais valeu a pena em Strasbourg foi o passeio de bateau-mouche. São barcos recobertos por vidro que trafegam nos canais da Petite France e na barragem Vauban. No barco você tem acesso a um audio guide que apresenta a história dos lugares por onde se passa, incluindo a história das pontes e do próprio canal.

Em um determinado momento do passeio, o barco chega a uma eclusa. Comportas se fecham e a água é retida fazendo o barco subir. Com o barco mais elevado, você passa a ter uma visão ainda mais bonita da cidade. O passeio dura pouco mais de uma hora e custa 9,60 euros. Há reduções para crianças e estudantes. O audio guide está disponível em diversas línguas. É uma experiência incrível para quem gosta de observar belas imagens e de história.

O circuito do bateau-mouche também pode ser feito a pé, pela área da margem, bem ao lado do canal e dos gansos e cisnes que nadam por lá. Muitas pessoas usam essas margens para se exercitar. Também é possível fazer a mesma caminhada pela parte alta, seguindo o percurso das pontes. Durante o percurso você ouve a história das construções enquanto aprecia a vista. Ao chegar ao Conseil de L’Europe o bateau-mouche retorna ao ponto de partida.

Para terminar o passeio seguimos a pé para o Musée d’art moderne et contemporain de Strasbourg. Nele, o que há de mais interessante, em minha opinião, é a área onde estão expostos os projetos, desenhos e maquetes das maiores obras da França como a Torre Eiffel. É impressionante. Infelizmente essa área do museu não pode ser fotografada. Nele também há belíssimas pinturas, como em todo grande museu francês, e uma coleção de retratos impressionante.

COMPRAS

Em Strasbourg: As cidades do interior da França são um ótimo território de compras. Encontram-se todas as lojas e galerias famosas. Alguns dos meus pontos de referência para andar em Strasbourg foram uma C&A e a Galeries Lafayette, mas não consegui ir a nenhuma delas porque o tempo estava apertado.

Realmente interessantes são as lojinhas de souvenirs que estão espalhadas aos montes nas ruas. Há coisas lindas, muitas com a cara da região e aquela estética alemã que mencionei no início do texto. Quem gosta de objetos de decoração, antiguidades e mimos não vai conseguir se controlar. Trouxe comigo postais, pôsteres e só não trouxe louças e outras peças porque podiam quebrar e eu não tinha mais espaço na mala.

As lojas de comida também são um espetáculo. Há casas de pães e chocolates realmente encantadoras. Vimos verdadeiras obras de arte. Como era época de Páscoa, ovos e coelhos eram as estrelas da maioria das vitrines.

Na França: Não é porque eu não me joguei nas compras em Strasbourg que vou deixar de falar delas. Afinal, passei 20 dias na França e sim, fiz muitas compras nas outras cidades. Como sou uma consumidora chata, acabei gastando mais em Nancy, que tem comércio muito mais estruturado e preços bem menores que em Paris. Em alguns produtos a diferença chegou a quase 7 euros.

Em Nancy você encontra todas as lojas badaladas: Sephora, Monoprix, Kiko, Farmacity, H&M, Zara, Lush, The Body Shop etc. Mas, mergulhei de cabeça mesmo foi nos supermercados, pra ser mais exata no Auchan e no Carrefour, que possuem grandes variedades e preços baixos. Comprei cosmético, makes e roupas, basicamente (e uma câmera super-8 na feirinha de antiguidades).

DICAS

  • A história de que o Monoprix possui o melhor preço é lenda. Carrefour e Auchan (Nancy) possuem preços muito melhores;
  • O demaquilante Bioderma varia de preço em cada cidade. Vi o médio por 7 euros em Nancy, 8 euros em Metz e 10 euros em Paris;
  • Roger & Gallet é tão caro quanto no Brasil;
  • O Óleo Extraordinário da L’Óreal custa 20 euros por lá e 20 reais no Brasil. Fiquem ligadas!
  • A Sephora não é um paraíso na terra. Os preços são caros em relação a outras boas lojas de lá. Preferi a Kiko, que tem produtos excelentes, mais baratos e que copia tudo que a Sephora lança. Mesmo assim, saí da Sephora com pincel, base mineral e esmalte;
  • Por falar na Kiko, sabe o potinho com espuma para colocar o dedo e tirar esmalte? O deles custa uns 3 euros a menos que o da Sephora! Lá também tem serums bons com preços a partir de 9 euros. Quem não quer?
  • Eu tenho um amor incondicional pela marca Le Petit Marselais. É baratinha, tem em todos os supermercados e fabrica shampoo, condicionador, sabonete, óleo de argan, balm, hidratante etc. Amo e fiz estoque! O melhor shampoo que usei na vida é dessa marca.
  • Sim! John Frieda e Schwarzkopf são encontrados nos supermercados e custam entre 6 e 14 euros. Trouxe shampoo, máscara e vários outros produtinhos para a família porque não vejo muita diferença dos produtos da Schwarzkopf no meu cabelo. Já de John Frieda fiz estoque também!
  • Klorane é uma marca muito boa com preço justo. Vale a experiência.

 

NYX The Crimson Amulet

Wendy é uma leitora muito fofa! Quando publiquei aqui no blog sobre The Crimson Amulet Collection, a paleta inspirada no filme Sombras da Noite, Wendy me mandou email dizendo que tinha a paleta e que podia mostrar no Oxente. Amei a oferta!

Fotografei as minhas cores favoritas para mostrar a pigmentação. As sombras são altamente pigmentadas, macias e não acumulam e nem esfarelam, mesmo as que tem brilho, porém para fixar melhor aconselho o uso de um primer. As cores são discretas e bem democráticas, e aconselho o uso delas para mulheres de qualquer idade. Só senti falta apenas de uma bela sombra preta!

De blush são cinco tonalidades diferentes, com qualidade igual aos unitários da própria marca. O iluminador é super discreto, funciona melhor para quem tem pele morena, negra ou bronzeada. Fica divino! A duração do brilho labial deixa a desejar, e a pigmentação é mediana, mas eles tem a vantagem de não serem grudentos. Já o delineador é bem pretinho, porém não seca muito rápido. Mas dura bem nos olhos e não carimba na pálpebra! A base de sombras em HD também é excelente!

Enfim é uma super paleta, bem completinha, dá pra diversificar bastante na criação de makes. A quantidade de produto é bem generosa. Pode até parecer que tanha uma pegada jovem, mas se adapta a qualquer idade. Possui cores fabulosas e um design bem divertido. E o mais legal é que a NYX não testa seus produtos em animais!

Quem está à procura de uma paleta para todas as ocasiões, recomendo a The Crimson Amulet Collection. A única coisa que pode desanimar é o preço mas é um excelente investimento.

Quando chega junho em Caruaru…

Junho é uma época mágica aqui no nordeste. As cidades se vestem de bandeirinhas coloridas e se iluminam com fogueiras e fogos de artifício, o som da sanfona se transforma em música ambiente, e o cheiro das comidas típicas juninas se espalham pelo ar. Junho é a época de celebrar São Pedro, Santo Antônio e São João!

Se estivesse vivo, o mestre Luiz Gonzaga completaria seu centenário em 2012, e sendo uma das figuras mais icônicas do São João, todas as homenagens esse ano são para ele. Merecidamente.

Para mostrar um pouco da cultura nordestina no São João, convidei a jornalista Karla Vidal para falar um pouco sobre os festejos de Caruaru – a capital do forró.

{E as fotos que Karla fez são tão lindas, que não tive coragem de editá-las.}

Nascida e criada em Caruaru eu nunca deixei de ir à cidade no mês de junho, quando as festas juninas tomam a cidade de ponta a ponta. Moro no Recife há 14 anos e voltar para Caruaru todo São João é sagrado. Primeiro porque eu gosto mesmo da minha cidade natal e segundo porque meus pais perdoam minha ausência até no Natal, desde que em junho eu esteja lá com eles.

Quando eu era criança gostava da festa, mas não me divertia muito porque era tímida. Hoje eu não só me divirto como vejo tudo com um olhar bem diferente. Eu, que antes só olhava, hoje vejo as cores, a alegria e o envolvimento das pessoas, a arte popular exposta por todos os lados, as comidas típicas, o céu azul, as luzes dos fogos, além dos pequenos detalhes de quem decora com cuidado suas casas e do forró que faz a poeira subir.

É bom demais de ver! São trinta dias de festa que deixam qualquer um em dúvida sobre qual atração ver primeiro. No último feriadão, Dia de Santo Antônio e Dia dos Namorados, registrei em imagens meu passeio fiel de todos os anos. Fica o convite para quem quiser experimentar novos olhares lá em Caruaru. Ainda tem São João e São Pedro! Vamos? Ou melhor, bora simbora?

Mais fotos na fan page do Oxente no Facebook.

O Brasil na Macy’s

Vocês devem ter acompanhado na mídia nas últimas semanas a notícia da campanha do Brasil na rede norte-americana de lojas Macy’s. O Brasil – assim, com S mesmo – invadiu os Estados Unidos com muitas cores e a alegria característica dos tupiniquins.

“A Magical Journey Brasil” {“Brasil – Uma Jornada Mágica”, em tradução livre} foi o slogan escolhido para a campanha da rede, que agora passa a oferecer na terra do Tio Sam produtos típicos brasileiros e coleções de roupas e maquiagem inspiradas em nosso país.

Feliz em matar um pouquinho a saudade do Brasil, a leitora Ludmilla Ramos, que mora em Seattle, assumiu a posição de colaboradora especial do Oxente e nos conta agora a sua experiência de ver o destaque do país em uma das maiores redes de loja do mundo.

Foi uma experiência e tanto ver e fazer a cobertura da coleção do Brasil na Macy’s. Antes de tudo gostaria de explicar o pensamento de grande parte dos americanos: a maioria não tem interesse nenhum em nada que venha de fora do país deles. Só para ilustrar, muita gente acha que a minha língua materna é o espanhol, e várias pessoas não conseguem entender como outras podem ter interesse em visitar a França, por exemplo, quando se vive no ‘melhor lugar do mundo’. Isso é só para fazer vocês entenderem a dimensão do que é trazer, para uma rede como a Macy’s, uma coleção enorme inspirada em outro país que não os Estados Unidos.

Na visita à loja fui acompanhada da Marilyn, que é americana, e pedi para que ela escolhesse as coisas que gostaria de usar. Também fiquei observando por um tempo o que clientes americanos estavam olhando e comprando, e cheguei a conclusão que o que eles gostam mesmo é dos produtos que tem o nome do Brasil escrito… bem compreensível. Inclusive uma das vendedoras me contou que algumas camisetas da Nike já estavam em falta.

Eu, como brasileira, curti mesmo a coleção Eyes of Brasil, da Lancôme. O kit vem com três sombras, delineador e a máscara Hypnôse Drama – e tudo isso por US$ 38. Eu achei que estava fazendo um bom negócio, mas percebi que era um ótimo negócio quando o Alexei, o vendedor da marca, me falou que eu ainda podia escolher outros cinco produtos inteiramente grátis. Fiquei louca!

Os outros produtos, fora as maquiagens e roupas, são altamente turísticos: café Pilão, Guaraná Antarctica, caixa de bombons da Garoto, sabonetes Phebo… E as músicas que estavam tocando lá na loja também eram músicas brasileiras. Já ia esquecendo das bolsas da loja, todas com a logo do Brasil e um catálogo imenso dentro falando dos estilistas, modelos e atores brasileiros. Para quem já está há um tempo longe do Brasil, como eu, foi bom para saber quem são essas pessoas.

Pra terminar, quero agradecer a oportunidade e dizer também que se você precisar de qualquer coisa, estou à disposição!

Eu que agradeço a sua colaboração, Lu! Só não achei melhor essa cobertura porque eu não estava lá nos States acompanhando esse babado!

Protetor solar Sun Max

Depois que Cá França mostrou a resenha da base Lingerie de Peau, da Guerlain, Bia Cortez, do Blog Pluralidades, também se animou para fazer uma resenha para a tag Dica da Leitora. Com a orientação de falar sobre um produto que ela conhece, usa e recomenda,foi fácil para Bia escolher o protetor Sun Max. Confiram a resenha!

Quem tem pele oleosa sabe como é difícil encontrar um protetor solar que se adeque direitinho ao seu tipo de pele. Depois de ter testado vários protetores ”oil free” e não ter ficado satisfeita com nenhum, eu conheci o Sun Max Fluid, que foi recomendado pela minha dermatologista.

Apesar de ser bastante fluido, ele deixa uma sensação agradável na pele e proporciona uma proteção muito alta contra os danos do sol, pois possui FPS 60 e UVA +++. Ele é indicado pra quem tem pele oleosa, e também é ótimo pra quem tem pele sensível. Além disso, ele é hipoalergênico e é não-comedogênico (não fecha os poros, por isso não forma o ”comedão”, ou seja, o cravo). Esse protetor não possui fragrância, é resistente à água e é oil free!

Na primeira vez que usei não gostei muito. Como ele é muito fluido, fica escorrendo na sua pele quando você aplica. Depois de um tempo, quando aprendi a usar de verdade, passei a gostar. O segredo é aplicar pequenos pingos no rosto com o próprio aplicador e depois espalhar bem.

Há duas versões do SunMax Fluid: 0 de 60 ml, que custa em média R$ 46,00, e o de 120 ml, que custa na faixa dos R$65,00. (Detalhe: O aplicador que está na foto é o da versão de 60ml,o de 120ml tem o aplicador tradicional como o de outras marcas.)

Eu adoro variar de produto de beleza, mas até agora não senti vontade de trocar o SunMax por outro protetor solar. Ele realmente é muito bom!

Antes de testar qualquer produto, consulte seu dermatologista.

Para participar da tag Dica da Leitora ou sugerir algum post, clique em Participe.

Base Guerlain Lingerie de Peau

Fazia tempo que a tag Dica da Leitora não aparecia aqui, né? Dia desses a Ca Melo me mostrou essa base da Guerlain no Facebook, e na mesma hora pedi para que ela fizesse uma resenha para o Oxente. Ainda bem que ela topou! Obrigada, Ca!

Fico muito feliz em participar do Oxente Menina. É gratificante mostrar nossas experiências, descobertas, alegrias e ter espaço aqui. Nunca tive esta oportunidade em outros blogs, e também não achava o principal: respeito pelas leitoras. Conheço o blog há algum tempo, e fico muito feliz, como leitora assídua que sou, em fazer parte desse espaço.

Essa base da Guerlain deve ser aplicada com os dedos, não precisa de esponjas ou pincéis, o que torna a aplicação ridiculamente fácil. Ela não transfere, tem FPS 20 e um acabamento acetinado. O efeito dela não é completamente opaco, mas também não tem aqueles brilhinhos irritantes. Ela é tão leve que dá a sensação de não estar usando nenhuma maquiagem no rosto, porém tem uma cobertura excelente que esconde perfeitamente as manchinhas do meu rosto. Não uso corretivo, e essa base faz o excelente papel de corrigir as falhinhas da pele e também de amenizar as olheiras, daí já me ajuda a economizar no corretivo e ter um produto de excelente qualidade. Praticidade total!

Cobertura excelente, lisinha, sem acumular nas linhas de expressão e sem deixar a pele com cara de reboco. Com ela também não sinto necessidade de usar pó, e olha que tenho pele oleosa e consegui uma duração de 12 horas nesse calor absurdo de Recife.

Minha cor é 04 Beige Moyen (um tom a mais, já que vou muito à praia). Entre todas as bases que tenho, essa ganha em disparado como a melhor!

Para participar da tag Dica da Leitora ou sugerir algum post, clique em Participe.