Bebê dodói, coração da mãe aos pedaços

Minha ausência nessa última semana aqui no blog tem uma justificativa, e não é ressaca da Semana Santa. Chegamos a ir para a praia durante o feriado, mas voltamos às pressas na madrugada da sexta para o sábado para levar Luca na emergência. Motivo: tosse, vômitos, muita secreção e a febre que me deixou em estado de alerta.

Crianças adoecem, e essa não é a primeira vez que Luca passa por uma virose, mas que mãe fica tranquila vendo seu bebê molinho? Ainda mais quando é uma criança super ativa como ele. Agora ele está tomando alguns medicamentos, não está comendo muito bem ainda, de vez em quando vomita, mas está melhorando e vê-lo saudável é tudo o que eu quero nesse momento.

+ Bebê na piscina
+ A menina que rebolava

Bebê dodói: o que fazer?

Por mais angustiada e nervosa que você esteja, a primeira coisa a fazer é se acalmar. Tenha em mente que você também passa as emoções para o seu filho, e sentir que a mamãe – o porto seguro dele – está agitada, as possibilidades dele chorar ainda mais são muito maiores. Essa bola de neve, com criança doente, mãe angustiada, criança chorando, mãe chorando junto só vão transformar a situação em um verdadeiro caos.

Tente uma consulta de emergência ou ligue para o pediatra

Quando a criança é muito pequena e ainda não tomou todas as vacinas, não é prudente levá-la de imediato ao pronto-socorro. O ambiente hospitalar e o contato com outras crianças doentes pode acarretar em algo mais sério. Telefone para o consultório do pediatra do seu filho e tente um encaixe de emergência. Se for madrugada ou um horário inconveniente e você tiver essa liberdade com o médico, telefone. O que vale aqui é o bom-senso: se a criança está chorando por conta daquela cólica que chega sempre no mesmo horário, não incomode o profissional; se for algo diferente e a criança estiver muito debilitada, ligue imediatamente. E se ele orientar a levar o seu filho para o hospital, vá!

+ Ergobaby: um caso de amor
+ Primeira consulta ao dentista

Não medique a criança sem saber do que se trata

Uma das coisas mais comuns é ouvir as pessoas dizerem “O filho da minha amiga estava com os mesmos sintomas e tomou remédio X. Vou dar o mesmo para o meu”. Não faça isso! Apesar dos sintomas serem parecidos ou iguais, o problema pode ser completamente diferente. Ainda que você já tenha o remédio em casa ou sua amiga tenha se oferecido a dar o que o filho dela estava tomando, não medique a criança de forma imprudente sem antes conversar com o médico.

Dê bastante líquido

Quando o assunto são as viroses da moda (todo dia aparece uma coisa diferente!), a criança tende a ficar com o corpo fraco e debilitado. Por causa das ocorrências de vômito e diarreia (em alguns casos), seu filho pode ficar facilmente desidratado, por isso a importância de dar bastante líquido. Dependendo da idade, você pode dar sucos ou água de coco.

Saiba para onde levar a criança

Nenhum pai ou mãe deseja passar por isso, mas acontece de ter que levar o filho às pressas para o hospital. Não espere até o pequeno adoecer para saber quais são os hospitais que atendem seu plano de saúde ou o posto do SUS mais próximo. Informe-se sobre o local indicado o quanto antes.

Muito colo e denguinho

Se até os adultos se sentem fracos e manhosos quando estão doentes, imaginem uma criança indefesa. Carinho e dengo podem não fazer a febre passar e nem a dor ir embora, mas com certeza o acalento do corpo quentinho dos pais ajuda a criança a se sentir mais segura e acolhida. E receber amor nunca fez mal a ninguém, não é mesmo?

Comentários do Facebook

Compartilhe:
7 comments Add yours
  1. menina que perrengue eim??!!! mas é isso mesmo, o mais importante é não se deixar abater por essas pedras e seguir em frente…
    um bjão

  2. Minha melhor amiga acabou de ter baby e ela está nessa fase,
    Cada dia ela me liga contando algo que deixa ela aflita e eu como melhor amiga e madrinha fico junto.
    Kisses

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.