A seleção brasileira nas Olimpíadas de 2021

Os Jogos Olímpicos estavam marcados para 2020, mas, como todo mundo sabe, a pandemia da COVID-19 não permitiu que muitos eventos esportivos acontecessem no ano passado. Como resultado, em 2021 temos Copa América, EuroCopa, Olímpiadas e vários outros eventos que deveriam ter ocorrido em 2020. Neste artigo vamos falar sobre os detalhes envolvendo a participação da seleção brasileira olímpica nesta edição, além de algumas outras curiosidades interessantes sobre as Olimpíadas.

Os antecedentes e a situação geral da seleção Olímpica de futebol masculino

Até então, os resultados da seleção brasileira nos Jogos Olímpicos são os seguintes:

  • 1 medalha de ouro (2016)
  • 3 medalhas de prata (1984, 1988, 2012)
  • 2 medalhas de bronze (1996, 2008)

É importante deixar claro que, quando falamos de seleção olímpica, estamos falando da seleção sub-23. Este ano em especial será permitido jogadores com até 24 anos. Portanto, não estamos falando da seleção principal de futebol do Brasil. Nesta ocasião em particular, a seleção brasileira vai ser pela primeira vez a atual campeã, o que traz uma certa confiança e respeito. Na última edição, o Brasil foi campeão vencendo a seleção da Alemanha. Esta vitória teve um gosto particular para os brasileiros, já que na última vez que essas equipes se enfrentaram, o Brasil tomou a maior goleada de sua história: o 7×1.

É de conhecimento comum para todos que a seleção Olímpica de futebol masculino é vista como uma seleção secundária. Este ano temos a Copa América acontecendo quase que simultaneamente às Olimpíadas. Portanto, qualquer jogador excepcional com até 24 anos já está na seleção principal. Isto é, fora da seleção olímpica.

Seleção olímpica de futebol | Foto: CBF

O famigerado Brasil e Alemanha vai acontecer novamente

Não há nada pior para o futebol brasileiro do que o evento conhecido como 7×1. A seleção brasileira principal estava jogando em casa contra a Alemanha, equipe esta que já tinha perdido uma final de Copa do Mundo em 2002 para o Brasil. A revanche para a seleção canarinho, de certa forma, aconteceu na final das Olimpíadas de 2016, quando o Brasil saiu vitorioso e levou a medalha de Ouro no futebol masculino pela primeira vez. Agora, marcado para 22 de julho, as duas equipes voltam a se enfrenta na fase de grupos em Tóquio.

Para este jogo, profissionais como Luiza Correia – você pode ler mais sobre ela aqui – acreditam que será uma partida comum, sem muita rivalidade. Acontece que estamos falando da fase de grupos, uma equipe que perde uma partida nesta etapa ainda pode avançar.

As peças-chaves da seleção Olímpica

André Jardine é o atual técnico da seleção olímpica de futebol masculino. Sua experiência como técnico inclui as categorias de base de times como Internacional, São Paulo e Grêmio e uma breve passagem como técnico interino dos times principais do Grêmio e do São Paulo. Em 2019, Jardine assumiu o comando do time principal do São Paulo para a temporada, ano em que também assumiu o comando da seleção brasileira sub-23. A propósito, este não é o mesmo técnico que foi campeão em 2016. O técnico, naquela ocasião, era Rogério Micale, conhecido como Aranha.

Sobre os jogadores, diferente de 2016, este ano não esperamos grandes estrelas no elenco. Jogadores como Gabriel Jesus e Neymar, que foram medalhistas em 2016, já não tem mais idade para defender a seleção olímpica.

Neymar, uma das grandes estrelas da Seleção Brasileira, já ultrapassou a faixa-etária permitida para as Olimpíadas. O jogador defende o Brasil atualmente na Copa América. | Foto: Reuters

O Brasil entra com um problema que poucas seleções passaram

O Brasil foi um dos países que mais sofreram com a pandemia de COVID-19 no mundo todo. O número de mortes é altíssimo e até agora parece que estamos longe de controlar a situação. Estes eventos afetam a população direta e indiretamente. Com mais de 500.000 vítimas fatais da doença no país, poucas são as pessoas que não tiveram COVID-19 ou perderam amigos ou familiares. Esse é um problema que cria uma certa instabilidade na equipe e que vale a pena mencionar.

Porque o Brasil parece não se importar com os Jogos Olímpicos

Você já reparou que os Jogos Olímpicos não são lá grande coisa no Brasil? Não estamos falando apenas do futebol, mas no geral. É apenas uma realidade triste sobre os esportes no Brasil. Mas, falando do futebol masculino olímpico, há algumas explicações. Para começar, estamos falando da equipe sub-23. Isto é, não é a seleção principal e muitas estrelas não estão presentes. É estranho para um torcedor brasileiro ver um jogo da seleção com jogadores desconhecidos.

Outro ponto importante é que a seleção principal é bastante ocupada. Este ano teremos a Copa América quase que simultaneamente com as Olimpíadas. Advinha qual equipe os torcedores farão questão de acompanhar?

O que as casas de apostas têm para dizer

Dessa vez, o Brasil entra como atual-campeão, o que é ótimo para elevar a moral e o respeito. Entretanto, as Olimpíadas sempre foram uma pedra no sapato para o futebol masculino. O ouro de 2016 veio de forma improvável com atuações bastante criticadas. É difícil chamar o Brasil de favorito. Para quem vai fazer apostas online, a dica é apostar por jogo e não tentar adivinhar quem vai levar a medalha de ouro.

Considerações finais

A seleção Olímpica de futebol masculino talvez não seja a coisa mais importante na mente dos torcedores este ano, mas, sem dúvidas, sua participação será no mínimo um entretenimento extra. Quem não vai gostar de ver um Brasil x Alemanha novamente? Estamos falando de mais uma oportunidade de o Brasil reduzir a vergonha que foi o 7×1. Se em 2020 não tivemos muitos eventos esportivos, 2021 veio para compensar por tudo isso.

Comentários do Facebook
Compartilhe:
One comment Add yours

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.