O lado cruel da indústria da vaidade

Na hora de comprar cosméticos, você leva em consideração se a marca que está consumindo testa seus produtos em animais? Você sabia que algumas marcas de fato testam produtos em animais, colocando-os sob procedimentos que causam dor e sofrimento?

Você não precisa ser uma ativista defensora dos animais, não precisa sequer gostar deles, para não querer que eles sejam submetidos a tamanha animosidade.

Muitas marcas de cosméticos, classificadas como “Cruelty Free” {Livre de Crueldade, em tradução livre}, submetem seus produtos a outros tipos de testes, que não o sacrifício animal, para garantir a segurança à saúde e a eficácia de suas invenções. No entanto, ainda é muito grande o número de empresas que continua recorrendo a métodos cruéis para testar seus intentos.

Mas que testes são esses, afinal de contas? 

Atenção: Imagens fortes na sequência!

O Oxente Menina conversou com o consultor farmacêutico João Guimarães, que contou como alguns desses procedimentos são feitos:

Teste de Irritação dos Olhos: É utilizado para medir a ação dos ingredientes químicos encontrados em cosméticos. Nesse teste, os coelhos são colocados em suportes onde apenas suas cabeças ficam expostas, e em alguns casos são colocados clipes de metal segurando a pálpebra para que os olhos sejam mantidos abertos. Em seguida, o produto é aplicado diretamente nos olhos dos animais, enquanto eles estão conscientes, e permanecem agonizantes durante uma semana, período médio necessário para os testes. Além da dor, a cegueira e o sacrifício são consequências inevitáveis.

Teste Draize de Irritação Dermal: A pele do animal é propositalmente raspada e ferida com uma fita adesiva, que é pressionada e arrancada violentamente. O processo é repetido quantas vezes necessárias, até que o pelo dê lugar às camadas de carne viva. Quando este estágio é atingido, o animal é imobilizado e substâncias do teste são aplicadas.

Há alternativas!

Os aparatos tecnológicos existentes, aliados aos estudos feitos ao longo dos anos que a indústria já possui em bancos de dados, são mais que suficientes para evitar a brutalidade a qual os animais são submetidos. Além disso, grande parte dos testes podem ser testados in vitro, e até mesmo em cobaias humanas {com o devido consentimento, obviamente}.

O fator determinante para que estudos arcaicos e cruéis sejam feitos em plena era da tecnologia é puro e simplesmente financeiro. Falando na língua dos cifrões, é mais conveniente para a indústria torturar e sacrificar animais do que investir uma parcela do seu orçamento em estudos computadorizados.


Para saber mais…

Leia também:  Começando pelos pés... a difícil escolha do sapato

Outros sites:

* Crédito das fotos: PETA e acervo da internet

Facebook Comments

Compartilhe:
23 comments Add yours
  1. Eu levo em consideração e por isso passei muito tempo sem comprar Natura até que um dia vi no blog da Flavinha que o nome deles tinha saido da lista no pea! NÃO COMPRO mesmo.
    se tem empresas que já fazem testes em peles artificiais vamos procurar por elas né?
    excelente post
    beijos

  2. Caramba! Eu tenho um coelhinho…Dalai…só lembrei dele, tadinhos! Que maldade!
    A gente nunca pensa nisso qud vai usar uma make!
    É bom começar neh…pq é um ser vivo, que sente dor como nós!

  3. Gente eu não sabia que era tão forte…ótimo post, eu uso muito pantene, mas não encontrei ele na lista de que não testa fiquei muitoo triste…Mas, a Hestia falou da Natura, lá tá dizendo que a marca Não testa, não? Bjim Ana

  4. Pois é… Falei disso no blog…
    É um abuso… Qto mais gente divulgar, melhor!
    Esses testes não são necessários…
    Mas algumas empresas grandes ainda fazem, deve ser pela economia.. Mas enfim… Já deixei de consumir muitas marcas por isso.

    Ótimo post.
    Beijocas

  5. oi Lu…

    A gente sempre soube que faziam testes e tal,mas daí a ver como realmente são esses testes,é algo que palavra nenhuma explica o pq disso aí!!
    Só penso como alguém que trabalha
    nisso,dorme,come…enfim….triste

    Abraços

  6. Sabe, quando eu era mais nova e pseudo-ativista, me preocupava muito com isso, shampoo, creme, sabonete, maquiagem, tudo! Nada podia ser testado, se não nao comprava. Mas depois de um tempo começou a ficar dificil encontrar marcas que nao testavam, produtos que fossem o que eu procurava, e preços acessiveis. E de repente, já tinha voltado a comprar tudo sem olhar. Seu post me trouxe a sensação ruim de volta, e consciencia tambem O pequeno passo sempre começa conosco.
    Excelente post, beijos!

  7. Meninas, eu sei q as fotos chocam, principalmente àqueles q realmente se apegam aos animais. Mas muita gente sequer sabia como eram feitos esses testes, e acho importante que essas informações sejam repassadas.

    Rafaela, você pode usar o texto, contanto que dê os créditos e coloque um link pro post original. ;)

  8. Oi!
    Faz pouco tempo que sigo teu blog e gostei mto de ver uma postagem sobre um assunto tão revoltante… As vezes é mais fácil nos acomodarmos e fecharmos os olhos pra essas barbaridades, e é bom qdo alguém nos relembra de como é importante observar de onde vem os produtos que compramos, se quem sofre é um animal, uma criança ou o meio ambiente no geral…
    Parabéns pelo post!
    Abs!

  9. Nossa!Que crueldade,eu tenho um bichinho desses e quase chorei lendo esse post,é realmente inaceitável e inacreditavel que tem gente que faz isso!Fica meu grito aki!!
    Patty

  10. Ana Lu, muito bom seu post, já falei sobre esse tema lá no blog e dá sempre muito pano para manga. Eus ei que evito mesmo essas marcas. Uma pena que quase tudo que usamos já foi testado de alguma forma. Existe a pele artificial como alternativa… bj

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.